For english version, please click here

Segunda maior ilha do Mediterrâneo, a Sardenha se localiza a meio caminho entre a Itália e a Espanha, logo abaixo da ilha francesa da Córsega, da qual está separada por 13 km através do Bocche di Bonifacio (Estreito de Bonifacio).

Ela oferece uma variedade incrível de paisagens espetaculares com uma biodiversidade impressionante. É habitada desde o Paleolítico, sendo sua civilização mais representativa a indígena Nuragic, que floresceu do século XVIII AC ao século VI DC na região de Barbagia.

A Sardenha é uma das 5 Blue Zones do planeta.

Pesquisando sobre as origens da longevidade no início da década de 2000 o demógrafo francês Michel Poulain se juntou ao acadêmico italiano Gianni Pes, que passara 20 anos a estudar a vida extraordinariamente longa dos sardos (habitantes da Sardenha). 

Analisando estes ilhéus mediterrâneos que vivem rotineiramente até mais de 100 anos, com a sua saúde mental, emocional e física intactas, um fascinado Poulain expandiu o estudo com o investigador americano Dan Buettner para identificar outras regiões ao redor do mundo onde as pessoas experimentam uma longevidade extrema.

Cunhando o termo Blue Zone (Zona Azul)  para designar as áreas onde viver por mais de um século é a norma, a pesquisa revelaria cinco, ao redor do mundo:  a ilha de Okinawa no Japão); a comunidade de Loma Linda na Califórnia; a península de Nicoya, na Costa Rica; a ilha de Icária na Grécia; e a ilha da Sardenha, na Itália. Surgiu dela um padrão distinto de características – uma dieta baseada principalmente em vegetais; atividade física diária; quantidades moderadas de álcool; dormir o suficiente, e ter redes espirituais, familiares e sociais ricas. 

Dan Buettner divulgou os resultados, publicando vários livros sobre comida e bem-estar nos últimos vinte anos e, mais recentemente, produzindo a série documental de sucesso da Netflix em 2023, Live to 100: Secrets of the Blue Zones, na qual ele explora todas as cinco Blue Zones. 

As Blue Zones são também alguns dos lugares mais lindos da Terra. Com uma exceção, Loma Linda, na Califórnia, todas são costeiras – sendo que três são ilhas. São também ambientes pequenos e mais naturais, não devastados, na sua maior parte, pelo desenvolvimento urbano moderno. Portanto, poderíamos acrescentar viver em locais pastorais à beira-mar – literalmente Zonas Azuis – como outro fator chave para uma vida longa. 

E todos nós podemos passar algum tempo nestes destinos felizes e saudáveis.

Escolhemos a primavera para viajar para a Sardenha para ter a oportunidade de nos maravilharmos com o florescer de inúmeras espécies de flores.

É nesta época que a vegetação mediterrânea está em seu melhor, com uma enorme variedade de arbustos e plantas diferentes explodindo em flor, para não falar das flores selvagens ao longo das estradas e nas sebes.

As amendoeiras são uma das primeiras árvores a florescer na primavera, e pode-se vê-las espalhadas por toda a paisagem da Sardenha nesta época do ano.

Os cactos rosa-vibrante estão apenas começando a adicionar um toque de cor ao cenário - localmente, eles são chamados de "Buongiorno", pois se abrem para saudar o dia no sol da manhã e se fecham novamente à noite.

As incríveis árvores de mimosa são tão cheias de flores que muitas vezes os galhos chegam ao chão com o peso – essas flores brilhantes são frequentemente usadas para celebrar o “Dia das Mulheres” em 8 de março!

Flores brancas são espalhadas pelo campo em abundância durante todo o mês de abril e maio – de longe, parecem grandes flocos de neve.

A planta brilhante de escova de garrafa está no seu melhor nesta época do ano – as escovas são grossas e de um belo tom de vermelho, adicionando um verdadeiro toque de cor aos jardins.

A lavanda selvagem cresce em qualquer lugar em que haja um local ensolarado, então há muito desse arbusto suavemente colorido e maravilhosamente perfumado – colha um pouco e o segue de cabeça para baixo no sol e depois o use para fazer seus armários e gavetas cheirarem a primavera o ano todo.

Os limões são uma fruta muito importante na Sardenha – sem eles, o licor delicioso e bastante alcoólico não poderia ser produzido. Há um suprimento abundante com limoeiros dando frutos 4 vezes por ano. Não há nada que se compare à fragrância de um limão recém-colhido!

As flores Opuntia são encontradas em pequenos cactos e também são conhecidas como "peras espinhosas".

A margarida amarela selvagem é comum em toda a Sardenha na primavera e traz muita cor às paisagens exuberantes.

Esta é apenas uma pequena amostra do que você pode esperar ver e cheirar na Sardenha nesta época do ano. Em breve as papoulas e margaridas estarão por toda parte, adicionando ainda mais cor a um cenário vibrante e em constante mudança.

 

 

Roteiro

 

   Uma viagem de descobertas pela Sardenha da vida longa 
                   9 a  22 de Maio de 2025 – 14 dias

 

( LEGENDA: C – café da manhã; A – almoço; J – jantar )

 

1º Dia – 9/5 – SEX - SÃO PAULO – MUNIQUE
Embarque em voo com destino a Munique.

2º Dia – 10/5 – SÁB – MUNIQUE – CAGLIARI ( J )
Chegada em Munique e conexão com voo para Cagliari. 
Chegada a Cagliari, a colorida capital da Sardenha. 
Primeiros contatos com esta animada capital da Sardenha, pontilhada por lagoas com flamingos e encimada por um imponente anel de muralhas medievais. 
A Sardenha foi governada pelos Fenícios, Cartagineses, Romanos, Bizantinos, pela Coroa Ibérica de Aragão, pela Casa de Sabóia e outros. Hoje é uma das cinco regiões da Itália que receberam algum grau de autonomia interna. Seu nome oficial é “Regione Autônoma della Sardegna” ou “Região Autônoma da Sardenha”.
Check in em nosso hotel.
Caminharemos depois até o histórico bairro “Castello”, na cidade velha, descobrindo o colorido e animação da capital sarda e tendo belos visuais do alto de toda a Cagliari.
Retorno ao hotel. Jantar.

3º Dia – 11/5 – DOM - NORA – SU NURAXI IN BARUMINI – CAGLIARI – MUSEU NOSTRA NURAGICA ( C )
Após o café da manhã vamos seguir para a cidadezinha de Nora.
Nora é um dos sítios arqueológicos mais importantes da Sardenha, que em sua época áurea era uma cidadezinha próspera, primeiramente fenícia, depois cartaginesa e, finalmente, um centro romano estratégico, uma joia que herdamos após três mil anos.
Aqui visitaremos o Su Nuraxi de Barumini.
No final do segundo milênio a.C, na Idade do Bronze, um tipo especial de estrutura defensiva conhecida como Nuraghi (para a qual não existe paralelo em nenhum outro lugar do mundo) desenvolveu-se na ilha da Sardenha. O complexo é constituído por torres defensivas circulares em forma de cones truncados construídas em pedra lavrada, com câmaras internas abobadadas com mísulas. O complexo de Barumini, ampliado e reforçado na primeira metade do primeiro milênio sob pressão cartaginesa, é o melhor e mais completo exemplo desta notável forma de arquitetura pré-histórica.
Depois desta visita impactante retornamos a Cagliari.
Almoço.
Temos a tarde para passear e descobrir mais da colorida cidade, e ainda incluímos uma visita guiada ao Museo Mostra Nuragica, um tesouro para compreendermos mais a incrível civilização desta ilha. Jantar.

4º Dia – 12/5– SEG – CAGLIARI – CHIA – SP71 - SPIAGGIA DI SAN GIUDEU - SPIAGGIA DI TUERREDDA – TEULADA – IGLESIAS – BUGGERRU  ( C )
Após o café da manhã deixamos Cagliari e seguimos pela ilha da Sardenha em direção oeste, onde percorreremos a cênica SP71, com seus visuais lindos da costa e do Mar Tirreno. A primeira parada será na Spiaggia di San Giudeu, uma linda praia com o maravilhoso mar azul transparente. Lugar de relaxar, de curtir e de caminhar pela areia até o promontório, uma ponta rochosa que a separa da Spiaggia Campana Dune. Esse promontório, esta ponta rochosa, é um excelente local para fotos espetaculares.
Depois de curtir aqui seguimos a Teulada e, na continuação, à cidadezinha de Iglesias.
Almoço em Iglesias.
À tarde seguimos a Buggerru, cidadezinha incrustada nas montanhas e falésias rochosas do sudoeste da costa sarda.
Aqui nos hospedaremos no Hotel La Rosa Dei Venti, pertinho da praia desta pequena cidade ao pé das impressionantes montanhas. Jantar.

5º Dia – 13/5 – TER – BUGGERRU – SPIAGGIA DE CALA DOMESTICA – ORISTANO – THARROS - BOSA (C, J)
Após o café da manhã iremos à Spiaggia de Cala Domestica. Uma pequena e maravilhosa praia em formato de golfo, ladeada por impressionantes montanhas rochosas.
Daqui seguimos para a cidade de Oristano. 
Chegamos a Oristano, uma cidade gostosa, com ruelas típicas das vilas italianas, que naturalmente já nos convidam para um passeio a pé. 
A cidade é rica em monumentos, como a Catedral de Santa Maria de Assunção, construída em 1200 e remodelada em estilo barroco, no século XVIII, a Igreja de São Francisco, que abriga uma escultura maravilhosa de Cristo crucificado do século XV, e a praça Leonor.
Almoço em Oristano.
Sorvete italiano imperdível, inaugurando uma série de sorveterias artesanais que encontraremos pela frente.
No início da tarde seguimos para Tharros. O sítio arqueológico de Tharros fica num lugar de incrível beleza natural e guarda páginas importantes da história da Sardenha, desde os Nuraghi há cerca de 3.000 anos a.C., os fenícios, os púnicos e os romanos. Dos altos das ruínas de Tharros somos capazes de olhar para a beleza do mar azul, de escutar o diálogo entre vento e ondas, e expandir a nossa imaginação para a idade antiga.
À tarde continuamos para Bosa.
Chegamos a Bosa, cidade muito acolhedora, situada no encontro do rio com o mar.
Hospedamo-nos no aconchegante hotel Baja Romântica.
Primeiros passeios a pé pela deliciosa cidade à beira rio. Jantar.

6º Dia – 14/5 – QUA – BOSA ( C )
Dia dedicado a curtir a colorida cidade de Bosa, seu centro histórico, seu rio, suas praias e visuais incríveis.
Da Ponte Vecchio (mesmo nome da famosa ponte de Florença) é possível ver os barquinhos de pescadores enfileirados e, um pouco mais adiante, a Cattedrale dell’Immacolata, a principal igreja de Bosa.
Perambular por suas ruazinhas é observar uma trepadeira contornando as janelas, os vasos de flores caprichosamente colocados na calçada, a sequência de casinhas coloridas, à beira-rio que nos leva a devaneios ....
Para o final do dia planejamos um local especial para assistir o pôr-do-sol, à beira mar.
Jantar neste local privilegiado, a beira-mar.

7º Dia – 15/5 – QUI – BOSA – ALGHERO – BOSA ( C )
Neste dia vamos seguir pela costeira estrada cênica que liga Bosa a Alghero. 
Alghero foi capital da Sardenha sob a ocupação espanhola, quando os catalães colonizaram  a região. 
A região de Alghero é simplesmente incrível. É toda uma sucessão de costas arenosas e infinitas, misteriosas enseadas escondidas, mas também locais glamurosos e aldeias pitorescas onde a tradição da Sardenha ainda é extremamente viva.
Antigos ocupantes, os aragoneses (e depois catalães e até pisanos) construíram muralhas e torres que hoje caracterizam a cidade velha ou Città Vecchia.
Cidade fortificada, Alghero e suas torres são um testemunho da história que a caracterizou durante séculos. Das torres que compunham a muralha da cidade original, existem hoje apenas sete das originais que cercavam a cidade, incluindo a Torre de Sant Joan, a Torre de l’Esperò Reial, a Torre de Sant Jaume e a Torre de la Polvorera.
Teremos o dia livre para passearmos pela deliciosa cidade. Sinta-se à vontade para fazer uma caminhada ao longo das muralhas e admirar os bastiões da muralha de San Giacomo, San Giovanni, Vincenzo Sulis e della Maddalena, bem como conhecer a Catedral de Santa Maria, que é o emblema da cidade catalã. 
Ao final do dia retornamos ao nosso hotel em Bosa. Claro que parando no caminho em local estratégico para apreciar mais um inesquecível por-do-sol. Jantar.

8º Dia – 16/5 – SEX – BOSA – MAMOIADA – CALA GONONE ( C )
Dia de nos despedirmos de nossa agradável estadia em Bosa e agora atravessarmos a ilha da Sardenha, da costa oeste para a costa leste.
A travessia da ilha nos leva pelos seus planaltos montanhosos onde, em meio a paisagens deslumbrantes, começamos a encontrar a região Blue Zone da ilha, onde vivem muitas pessoas centenárias.
Aqui também visitaremos o museu das Máscaras Mediterrâneas em Mamoiada. Onde você entrará no misterioso mundo das máscaras tradicionais de Barbagia e da bacia do Mediterrâneo - a maior coleção de máscaras de todo o Mediterrâneo -  história que começa em Mamoiada e atravessa os diferentes países, descobrindo antigos ritos, que tinham por objetivo atrair o favor ou a boa vontade de um ser sobrenatural, uma divindade, tudo relacionado com o mundo agropastoril.
No final da tarde descemos a serra ao litoral leste da Sardenha.
Aqui nos hospedaremos na cidadezinha costeira de Cala Gonone. Jantar.

9º Dia – 17/5 – SÁB – CALA GONONE – PASSEIO 4 X 4 – OLIENA - BARBAGIA – NASCENTES SU GOLOGNE - VALE DE LANAITHO - ALMOÇO COM PASTORES – CALA GONONE ( C, A )
Neste dia descobriremos as belezas de Barbagia e Supramonte. Em veículos 4x4 conheceremos as nascentes Su Gologne e depois o Vale di Lanaitho.
Saímos de manhã de nosso hotel em Cala Gonone, subindo pelas montanhas e em pouco tempo chegamos a Su Gologone, onde iremos conhecer e admirar a nascente montanhosa mais importante da ilha, de onde brotam águas muito límpidas de um desfiladeiro com mais de cem metros de profundidade. 
Após esta visita, continuamos em direção ao vale de Lanaitho, rico em flora endêmica, grutas, aldeias nurágicas e currais de pastores, onde não são improváveis ??encontros com animais selvagens como muflões, javalis, gaviões e águias douradas. O vale é um dos mais famosos da história da Sardenha, pois, entre os muitos sítios arqueológicos que abriga, inclui a famosa caverna de Corbeddu onde foram encontrados ossos humanos que datam do Paleolítico Superior (13.500 anos AC).
O vale de Lanaitto encontra-se num cenário de paisagens fascinantes nos territórios de Oliena e Dorgali, em meio a imponentes cristas calcárias que geraram dolinas, desfiladeiros, picos rochosos e cavernas. Seria uma paisagem lunar se não estivesse coberta por uma floresta exuberante em mil tons de verde: azinheiras, terebintos, bordos, oliveiras e zimbros centenários abraçam caminhos sinuosos de terra. O silêncio só é quebrado pelo farfalhar das folhas. Em meio a monumentos naturais, sítios pré-históricos e pinnettos - retiros de pastores que se tornaram abrigos para caminhantes - é fácil avistar muflões ou águias voando. 
Depois de cruzar Lanaitho chega-se à aldeia de "Sedda Sos Carros", um importante povoado nurágico, dentro do qual foi encontrada uma fonte sagrada circular com nove cabeças de carneiro esculpidas na pedra, única no seu gênero em toda a bacia do Mediterrâneo.
Daqui seguimos às casas de pastores próximos que se prepararam para nos receber com um caprichado almoço à base de embutidos, queijos, ricota, assados ??e leitão. O vinho e digestivo Cannonau vão ainda inebriar a todos na memória de um dia único e inesquecível.
No início da tarde partimos novamente em nossos veículos 4 x 4 e regressamos ao ponto de partida da expedição.
Daqui retornamos ao nosso hotel em Cala Gonone. Jantar.

10º Dia – 18/5 – DOM – CALA GONONE – GOLFO DE OROSEI - PASSEIO DE ZODIACS – CALA LUNA – CALA GOLORITZE – OROSEI – PALAU ( C, J )
Após o café da manhã seguiremos até o porto, onde embarcamos em zodiacs (botes de borracha motorizados), para visitarmos as praias e cavernas marinhas de Cala Goloritze, Cala Mariolu, Cala Biriola e Fico, com suas entradas pelo mar. 
O Golfo de Orosei é uma região paradisíaca de montanhas e praias banhadas pelo Mar Tirreno que fica na costa leste da Sardenha. O visual das montanhas brancas ao lado do mar por si só já é lindíssimo. 
O Golfo faz parte do Parque Nacional do Golfo de Orosei e Gennargentu, o maior parque da ilha, que pertence às províncias de Nuoro e Ogliastra. 
A costa aqui é recheada de pequenas cavernas e enseadas marinhas que são inacessíveis por terra ou por grandes barcos. Neste passeio navegaremos por entre falésias e praias costeiras em um ágil bote motorizado Zodiac.
Um dos maiores destaques do passeio é a Cala Goloritzé, uma pequena praia formada em 1962 por um deslizamento de terra. Ela é muito especial pela formação incomum das pedras que formam um arco e uma gigante “agulha” no canto direito. Foi adotada como Monumento Natural e depois declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.
Teremos a oportunidade de nadar nas águas azul-turquesa de Cala Goloritzè, nas cavernas marítimas de Cala Luna e depois relaxar nas areias macias de Cala Mariolu e Cala Biriala. 
Nosso almoço hoje será um piquenique na praia. 
No final do dia, após o maravilhoso passeio de barco, reembarcamos em nosso ônibus seguindo em direção norte da ilha, até a cidadezinha costeira de Palau. 
Depois chegamos a nosso hotel, o Park Hotel Cala Di Lepre & Spa.
Check in. Jantar.

11º Dia – 19/5 – SEG – PALAU – SAN PANTALEO – PALAU ( C, J )
Café da manhã. Primeiros contatos com este delicioso e verde local.
Manhã livre para aproveitarmos das piscinas, da praia, dos jardins.
Almoço.
À tarde seguimos para a charmosa cidadezinha de San Papaleo.
Local de passear a pé em meio a suas charmosíssimas ruelas, com um design de lojinhas de um bom gosto e beleza extremas.
San Pantaleo é uma vila pitoresca, que combina tradição e glamour. É a "vila dos artistas" e também do mercado de rua, dos stazzi (moradias rurais), do espírito boêmio e das cenas icônicas de um filme de James Bond. Pequenina, mas cheia de ideias, está localizada em uma paisagem de granito no território de Olbia e tem inspirado obras de arte e criações nos circuitos artísticos internacionais por décadas. A vila fica no maciço de granito de Cugnana, cercada pela natureza que manteve sua aparência selvagem apesar do glamour da vizinha Costa Esmeralda.
Café da tarde nas pracinhas desta vila.
Retorno a nosso hotel.
Jantar.

12º Dia – 20/5 – TER – PALAU – CANNIGIONE – PASSEIO DE BARCO PELAS ILHAS DO ARQUIPÉLAGO MADDALENA ( C, J )
Hoje faremos um inesquecível passeio de barco para descobrir os recantos mais incríveis do arquipélago de La Maddalena. 
Criado em 1996 para proteger a flora e a fauna locais, o Parque Nacional La Maddalena é o lar de muitos tipos de aves, incluindo o peneireiro, o falcão peregrino e aves marinhas como o felpudo europeu, a cagarra e a cagarra Manx. 
Visitaremos aqui algumas das mais belas ilhas do Mediterrâneo como por exemplo a Ilha de Spargi, a ilha de Santa Maria e a ilha de Razzoli (sujeito a mudanças de acordo com a maré). Nos encantaremos com os tons coral da famosa e única Spiagga Rosa (é proibido o desembarque na Praia Rosa). 
Vamos também ter o prazer de nadar em águas límpidas cor esmeralda e provar os pratos típicos tradicionais da região.
No meio da tarde retornamos ao ponto onde embarcamos.
E daqui retornamos a nosso hotel.
Jantar.

13º Dia – 21/5 – QUA – PALAU – PORTO DE SANTA TERESA GALLURA – BONIFÁCIO (CÓRSEGA) – PALAU ( C, J )
Após o café da manhã seguimos para a cidade portuária de Santa Teresa Gallura, onde embarcaremos em uma balsa com destino a Bonifácio, na fronteiriça Córsega, ilha pertencente à França (e onde nasceu Napoleão Bonaparte).
Cidade mais antiga da Córsega, Bonifácio foi construída há mais de 1200 anos sobre uma gigantesca falésia. 
A travessia leva entre 50 e 60 minutos, quando chegamos a um dos litorais mais espetaculares do mundo! As falésias ao redor de Bonifácio foram escavadas pelo oceano, de modo que a cidade agora fica à beira de um precipício – uma visão incrível. 
Chegando ao porto de Bonifácio temos vários passeios maravilhosos para escolher.
Bonifácio cativa e encanta os seus visitantes com a sua atmosfera de cartão postal, a cidadela medieval, as casas situadas no topo das deslumbrantes falésias calcárias brancas e um porto animado tendo como pano de fundo águas azul-turquesa no extremo sul da Córsega. 
O porto fica no sopé da cidadela, em um bairro animado onde podemos conferir a cidade. À beira-mar encontramos bares, cafés e restaurantes com ambiente descontraído – o lugar perfeito para absorver o estilo de vida gentil de Bonifácio. Iates e barcos de pesca atracados prometem agradáveis passeios ao mar, enquanto as falésias de cor ocre, em contraste com o azul do mar levam nossos pensamentos para lugares longínquos. 
O caminho costeiro – também conhecido como caminho Pertusatu – permite passear e descobrir a costa selvagem de Bonifácio. Aqui podemos opcionalmente caminhar ao longo das falésias, cerca de 100 metros acima do nível do mar, e desfrutar da vista espetacular das Ilhas Lavezzi (Îles Lavezzi) e até da Sardenha.
Ao longo do caminho, podemos admirar o farol e a vegetação local – e ainda podemos aproveitar as duas praias: Praia de Saint-Antoine (Plage Saint-Antoine) com sua areia fina, e a Praia de Trois Pointes (Plage des Trois Pointes).
A cidadela ergue-se majestosamente como guardiã da área e dos becos da cidade alta. Do porto, pegaremos o trenzinho até chegar a seus altos. Chegamos ao topo da falésia de 70 metros de altura, um local elegante e encantador.  Aqui a cidade alta está repleta de delícias, oferecendo-nos um verdadeiro caldo de cultura, como fachadas de arquitetura requintada, vistas panorâmicas sobre o mar, praças e portas antigas, e bares e restaurantes em esplanadas acolhedoras.
A ponte levadiça de Gênes (le pont-levis de la porte de Gênes) na Porta de Gênova (La Porte de Gênes) é a entrada da cidade, e um ponto que vale muito a pena visitar. Possui uma ponte levadiça da década de 1830 (que substitui a de 1598), acionada por um sistema de pesos e roldanas, que nos leva numa viagem histórica às origens da cidade.
No final da tarde embarcamos novamente na balsa, retornando ao porto de Santa Teresa Gallura, na Sardenha. Daqui retornamos a nosso hotel.
Jantar.

14º Dia – 22/5 – QUI – PALAU – ÓLBIA – VÔO A FRANKFURT – SÃO PAULO ( C )
Após o café da manhã seguimos para a cidade de Ólbia, a “capital” do nordeste da ilha, onde em seu aeroporto embarcamos em voo para Frankfurt.
Chegamos em Frankfurt e embarcamos em nosso voo com destino a São Paulo.

15º Dia – 23/5 – SEX – CHEGADA EM SÃO PAULO
De manhã cedinho chegamos ao aeroporto de Guarulhos.

Voos Previstos 

Voo       Origem                   Destino                 Partida           Chegada

LH505   São Paulo (GRU)  Munich (MUC)      09/05 21:05   10/05 13:45
LH1918 Munich  (MUC)     Cagliari  (CAG)    10/05 15:50    10/05 17:40
LH321   Olbia  (OLB)          Frankfurt (FRA)   22/05 18:30    22/05 20:25
LH506   Frankfurt (FRA)    São Paulo (GRU) 22/05 22:05    23/05 04:55
 

Valores referência: USD 1.189,00 + USD 90,00 de taxas de embarque
Franquia de bagagem: 01 peça de 23kg + 01 mala de mão
Valores sujeitos a alteração e disponibilidade.

 

 

Saídas

  • 09

    Mai

    2025

O que inclui

INCLUÍDOS

- 2 noites em Cagliari no Hotel Regina Margherita https://www.hotelreginamargherita.com/en/ ou similar;
- 1 noite em Buggerru no Hotel Rosa dei Venti https://www.larosadeiventibuggerru.com/ou similar;
- 3 noites em Bosa no Hotel Baja Romantica https://www.hotelbajaromantica.com/home ou similar;
- 2 noites em Cala Gonone no Hotel Brancamaria https://www.hotelbrancamaria.com/en/ ou similar;
-4 noites em Palau no Park Hotel Cala Di Lepre & Spa ou similar https://www.hotelcaladilepre.com/sardinia/hotel.html;
- 7 refeições;
- Transporte em micro-ônibus;
- Passeio em 4 x 4;
- Passeio de Barco em Cala Gonone - Golfo de Orosei;
- Passeio de Barco no Arquipélago de La Madallena;
- Balsa Sardenha – Córsega – Sardenha;
- Ingressos dos passeios; 
- Guias; 
- Seguro Viagem Internacional (Consulte suplemento para maiores de 74 anos);
- Kit Viagem (3).

 

NÃO INCLUÍDOS

- Passagens aéreas;
- Taxas de embarque;
- Demais refeições não incluídas acima;
- Bebidas;
- Extras;
- Qualquer item não mencionado no programa.

 

English Version

The second largest island in the Mediterranean, Sardinia is located halfway between Italy and Spain, just below the French island of Corsica, from which it is separated by 13 km by the Bocche di Bonifacio (Strait of Bonifacio).

It offers an incredible variety of spectacular landscapes with impressive biodiversity. It has been inhabited since the Paleolithic, with its most representative civilization being the indigenous Nuragic, which flourished from the 18th century BC to the 6th century
AD in the Barbagia region. 

Sardinia is one of the 5 Blue Zones on the planet. Researching the origins of longevity in the early 2000s, French demographer Michel Poulain teamed up with Italian academic Gianni Pes, who had spent 20 years studying the extraordinarily long lives of
the Sardinians. By examining these Mediterranean islands, which routinely live to be over 100 years old, with their mental, emotional and physical health intact, a fascinated Poulain expanded the study with American researcher Dan Buettner to identify other regions
around the world where people experience extreme longevity. Under the term Blue Zone to designate areas where living for more than a century is the norm, the research would reveal five around the world: the island of Okinawa in Japan; the community of Loma Linda in California; the Nicoya Peninsula in Costa Rica; the island of Ikaria in Greece; and the island of Sardinia in Italy. A distinct pattern of characteristics emerged from them—a diet based largely on plants; daily physical activity; contains carbohydrates; getting enough sleep; and having social networks,
family and wealth.

Dan Buettner has been reporting on the results, publishing several books on food and wellness over the past twenty years and, most recently, producing the hit 2023 Netflix documentary series, Live to 100: Secrets of the Blue Zones, in which he explores all five Blue Zones.
The Blue Zones are also some of the most beautiful places on Earth. With one exception, Loma Linda, California, they are all coastal – and three are islands. They are also small, more natural environments, largely unraveled by modern urban development. So let’s add living in pastoral seaside locations – literally Blue Zones – as another key factor in a long life.
And we can all spend some time in these happy, healthy destinations.

We chose springtime to travel to Sardinia to have the opportunity to marvel at the blooming of countless species of flowers.
This is when the Mediterranean vegetation is at its best, with a huge variety of different shrubs and plants bursting into bloom, not to mention the wildflowers along
the roadsides and in the hedgerows. Almond trees are one of the first trees to flower in spring, and can be seen dotted all over the Sardinian landscape at this time of year.
The vibrant pink cacti are just beginning to add a splash of colour to the scene – locally, they are called “Buongiorno” (Good Morning) as they open to greet the day in the morning sun and close again in the evening.
The incredible mimosa trees are so full of flowers that the branches often reach the ground under their weight – these huge flowers are often used to celebrate “Women’s Day” on March 8th!
White flowers are scattered across the countryside in abundance throughout April and May – from a distance, they look like large snowflakes. The brilliant bottlebrush plant is not at its best at this time of year – the brushes are thick and a beautiful shade of
red, adding a real splash of colour to gardens.
Wild lavender grows anywhere there is a sunny spot, so there is plenty of this softly coloured and wonderfully scented shrub – pick some and follow it upside down in the sun and then use it to make your cupboards and drawers smell like spring all year
round.
Lemons are a very important fruit in Sardinia – without them, the delicious and quite alcoholic liqueur could not be produced. There is an abundant supply with lemon trees bearing fruit 4 times a year. There is nothing quite like the fragrance of a freshly picked
lemon!
Opuntia flowers are found on small cacti and are also known as ‘casuistic pears’.
The wild yellow daisy is common throughout Sardinia in spring and brings a lot of colour to the lush landscapes.
This is just a small sample of what you can expect to see and smell in Sardinia at this time of year. Soon poppies and daisies will be everywhere, adding even more color to a vibrant and ever-changing landscape.

SARDINIA BLUE ZONE
IN SPRING with CORSICA

A journey of discovery through Sardinia
of the long life

May 10 to 23, 2025 – 13 days


( SUBTITLES : B – breakfast; A – lunch; D – dinner )

DAY 1 – May 10 – SAT - ARRIVAL IN CAGLIARI (Sardinia’s main city)  ( D )
Arrival in Cagliari, from the US. Cagliari, the colorful capital of Sardinia.
First contact with this lively capital of Sardinia, dotted with lagoons with flamingos and topped by an imposing ring of medieval walls.
Sardinia has been ruled by the Phoenicians, Carthaginians, Romans, Byzantines, the Iberian Crown of Aragon, the House of Savoy and others. Today it is one of the five regions of Italy that have received some degree of internal autonomy. Its official name is “Regione Autônoma della Sardegna” or “Autonomous Region of Sardinia”.
Check in at our hotel.
We will then walk to the historic “Castello” district in the old town, discovering the colorful and lively Sardinian capital and enjoying beautiful views of the whole of Cagliari from above.
Return to the hotel. Dinner

DAY 2 – May 11 – SUN - NORA – SU NURAXI IN BARUMINI – CAGLIARI – NOSTRA NURAGICA MUSEUM ( B )
After breakfast, we will head to the town of Nora.
Nora is one of the most important archaeological sites in Sardinia, which in its golden age was a prosperous town, first Phoenician, then Carthaginian and finally a strategic Roman center, a jewel that we have inherited after three thousand years.
Here we will visit the Su Nuraxi in Barumini.
At the end of the second millennium BC, during the Bronze Age, a special type of defensive structure known as Nuraghi (for which there is no parallel anywhere else in the world) developed on the island of Sardinia. The complex consists of circular defensive towers in the shape of truncated cones built of hewn stone, with internal chambers vaulted with corbels. The Barumini complex, expanded and reinforced in the first half of the first millennium under Carthaginian pressure, is the best and most complete example of this remarkable form of prehistoric architecture.
After this impressive visit, we return to Cagliari.
Lunch.
We have the afternoon to stroll around and discover more of the colorful city, and we also include a guided tour of the Museo Mostra Nuragica, a treasure for understanding more about the incredible civilization of this island. Dinner

DAY 3 – May 12 – MON – CAGLIARI – CHIA – SP71 - SPIAGGIA DI SAN GIUDEU - SPIAGGIA DI TUERREDDA – TEULADA – IGLESIAS – BUGGERRU
( B )

After breakfast, we leave Cagliari and head west across the island of Sardinia, where we will travel along the scenic SP71, with its beautiful views of the coast and the Tyrrhenian Sea. The first stop will be at Spiaggia di San Giudeu, a beautiful beach with a wonderful, clear blue sea. A place to relax, enjoy yourself and walk along the sand to the promontory, a rocky point that separates it from Spiaggia Campana Dune. This promontory, this rocky point, is an excellent place for spectacular photos.
After enjoying ourselves here, we will continue to Teulada and then on to the small town of Iglesias.
Lunch in Iglesias. In the afternoon we will head to Buggerru, a small town nestled in the mountains and rocky cliffs of the southwest Sardinian coast.
Here we will stay at the Hotel La Rosa Dei Venti, very close to the beach of this small town at the foot of the impressive mountains. Dinner

DAY 4 – May 13 – TUE – BUGGERRU – SPIAGGIA DE CALA DOMESTICA – ORISTANO – THARROS - BOSA (B, D)
After breakfast we will head to Spiaggia de Cala Domestica. A small and wonderful gulf-shaped beach, flanked by impressive rocky mountains.
From here we will head to the city of Oristano.
We will arrive in Oristano, a pleasant city, with typical Italian village streets, which naturally invite us to take a stroll.
The city is rich in monuments, such as the Cathedral of Santa Maria dell'Asunción, built in 1200 and remodeled in the Baroque style in the 18th century, the Church of San Francesco, which houses a wonderful sculpture of the crucified Christ from the 15th century, and Piazza Leonor.
Lunch in Oristano.
Unmissable Italian ice cream, opening a series of artisanal ice cream shops that we will come across during our trip.
In the early afternoon we head to Tharros. The archaeological site of Tharros is in a place of incredible natural beauty and holds important pages of the history of Sardinia, from the Nuraghi around 3,000 years BC, to the Phoenicians, the Punics and the Romans. From the top of the ruins of Tharros we can look out over the beauty of the blue sea, listen to the dialogue between wind and waves, and expand our imagination to ancient times.
In the afternoon we continue to Bosa. We arrive in Bosa, a very welcoming city, located where the river meets the sea.
Here we stay at the cozy Baja Romantica hotel.
First walks around the delightful riverside city. Dinner.

DAY 5 – May 14  – WED – BOSA ( B )
A day dedicated to enjoying the colorful city of Bosa, its historic center, its river, its beaches and incredible views.
From the Ponte Vecchio (the same name as the famous bridge in Florence) you can see the little fishing boats lined up and, a little further on, the Cattedrale dell’Immacolata, the main church in Bosa.
Wandering through its little streets is like seeing a climbing vine up along the windows, the flower pots carefully placed on the sidewalk, the sequence of colorful little houses, on the riverbank that leads us to daydreams...
For the end of the day we planned a special place to watch the sunset, by the sea.
Dinner in this privileged location, by the sea.

DAY 6 – May 15 – THU – BOSA – ALGHERO – BOSA ( B )
On this day we will follow the scenic coastal road that connects Bosa to Alghero.
Alghero was the capital of Sardinia under the Spanish occupation, when the Catalans colonized the region.
The Alghero region is simply incredible. It is a whole succession of endless sandy coasts, mysterious hidden coves, but also glamorous places and picturesque villages where the Sardinian tradition is still extremely alive.
The former occupants, the Aragonese (and later Catalans and even Pisans) built walls and towers that today characterize the old town or Città Vecchia.
A fortified city, Alghero and its towers are a testament to the history that has characterized it for centuries. Of the towers that made up the original city wall, today only seven of the original ones that surrounded the city remain, including the Torre de Sant Joan, the Torre de l’Esperò Reial, the Torre de Sant Jaume and the Torre de la Polvorera.
We will have the day free to stroll around the delightful city. Feel free to take a walk along the walls and admire the bastions of the San Giacomo, San Giovanni, Vincenzo Sulis and della Maddalena wall, as well as visit the Cathedral of Santa Maria, which is the emblem of the Catalan city.
At the end of the day we will return to our hotel in Bosa. Of course, we will stop along the way at a strategic location to enjoy another unforgettable sunset. Dinner.

DAY 7 – May 16 – FRI – BOSA – MAMOIADA – CALA GONONE ( B )
After breakfast we will say goodbye to our pleasant stay in Bosa and now cross the island of Sardinia, from the west coast to the east coast.
The crossing of the island takes us through its mountainous plateaus where, amidst stunning landscapes, we begin to find the Blue Zone region of the island, where live many centenarians.
Here we will also visit the Museum of Mediterranean Masks in Mamoiada. Here you will enter the mysterious world of the traditional masks of Barbagia and the Mediterranean basin - the largest collection of masks in the entire Mediterranean - a story that begins in Mamoiada and crosses the different countries, discovering ancient rites, which aimed to attract the favor or goodwill of a supernatural being, a divinity, all related to the agricultural and pastoral world.
In the late afternoon we will descend the mountains to the east coast of Sardinia.
Here we will stay in the coastal town of Cala Gonone. Dinner.

DAY 8 – May 17 – SAT – CALA GONONE – 4X4 TOUR – OLIENA - BARBAGIA – SU GOLOGNE SPRINGS - LANAITHO VALLEY - LUNCH WITH SHEPHERDS – CALA GONONE (B, L)
On this day we will discover the beauty of Barbagia and Supramonte. In 4x4 vehicles we will visit the Su Gologne springs and then the Lanaitho Valley.
After breakfast we depart Cala Gonone, driving up the mountains and soon arriving at Su Gologone, where we will visit and admire the most important mountain spring on the island, from where crystal clear waters gush out from a gorge over a hundred meters deep.
After this visit, we continue towards the Lanaitho Valley, rich in endemic flora, caves, nuragic villages and shepherds' pens, where it is not unlikely to encounter wild animals such as mouflons, wild boars, hawks and golden eagles. The valley is one of the most famous in the history of Sardinia, as among the many archaeological sites it houses is the famous Corbeddu cave where human bones dating back to the Upper Paleolithic (13,500 BC) were found.
The Lanaitho Valley is located in a setting of fascinating landscapes in the territories of Oliena and Dorgali, amid imposing limestone ridges that have created sinkholes, gorges, rocky peaks and caves. It would be a lunar landscape if it were not covered by a lush forest in a thousand shades of green: holm oaks, terebinths, maples, olive trees and centuries-old junipers embrace winding dirt roads. The silence is only broken by the rustling of leaves. Amidst natural monuments, prehistoric sites and pinnettos - shepherds' retreats that have become shelters for hikers - it is easy to spot mouflons or eagles flying.
After crossing Lanaitho you reach the village of "Sedda Sos Carros", an important Nuragic settlement, inside which a sacred circular spring with nine rams' heads carved into the stone was found, unique of its kind in the entire Mediterranean basin.
From here we continue to the houses of nearby shepherds who have prepared to welcome us with a hearty lunch of sausages, cheeses, ricotta, roasts and suckling pig. The Cannonau wine and digestive will also intoxicate everyone with the memory of a unique and unforgettable day.
In the early afternoon we set off again in our 4x4 vehicles and return to the starting point of the expedition.
From here we return to our hotel in Cala Gonone. Dinner.

DAY 9 – May 18 – SUN – CALA GONONE – GULF OF OROSEI - ZODIAC TOUR – CALA LUNA – CALA GOLORITZE – OROSEI – PALAU (B, D)
After breakfast we will head to the port, where we will board zodiacs (motorized rubber boats) to visit the beaches and sea caves of Cala Goloritze, Cala Mariolu, Cala Biriola and Fico, with their entrances from the sea.
The Gulf of Orosei is a paradisiacal region of mountains and beaches bathed by the Tyrrhenian Sea, located on the east coast of Sardinia. The view of the white mountains next to the sea is beautiful in itself.
The Gulf is part of the Gulf of Orosei and Gennargentu National Park, the largest park on the island, which belongs to the provinces of Nuoro and Ogliastra.
The coast here is dotted with small caves and sea inlets that are inaccessible by land or large boats. On this tour, we will sail between cliffs and coastal beaches in a nimble Zodiac motorboat.
One of the highlights of the tour is Cala Goloritzé, a small beach formed in 1962 by a landslide. It is very special due to the unusual formation of rocks that form an arch and a giant “needle” on the right corner. It was adopted as a Natural Monument and later declared a World Heritage Site by UNESCO.
We will have the opportunity to swim in the turquoise waters of Cala Goloritzè, in the sea caves of Cala Luna and then relax on the soft sands of Cala Mariolu and Cala Biriala.
Our lunch today will be a picnic on the beach ( everyone is expected to buy ingredients the previous day ).
At the end of the day, after the wonderful boat trip, we re-boarded our bus and head north of the island to the coastal town of Palau.
We then arrive at our hotel, the Park Hotel Cala Di Lepre & Spa.
Check in. Dinner.

DAY 10 – May 19 – MON – PALAU – SAN PANTALEO – PALAU ( B, D )
Breakfast. First contact with this delightful and green place.
Morning free to enjoy the pools, the beach and the gardens.
Lunch.
In the afternoon we will make a tour to the charming little town of San Papaleo.
A place to stroll through its charming little streets, with its tasteful and extremely beautiful little shops.
San Pantaleo is a picturesque village that combines tradition and glamour. It is the "village of artists" and also home to the street market, the stazzi (rural houses), the bohemian spirit and the iconic scenes from a James Bond film. Small but full of ideas, it is located in a granite landscape in the Olbia area and has inspired works of art and creations on the international art circuit for decades. The village is located in the Cugnana granite massif, surrounded by nature that has maintained its wild appearance despite the glamour of the neighboring Costa Smeralda.
Afternoon coffee in the small squares of this village.
Return to our hotel.
Dinner

DAY 11 – May 20 – TUE – PALAU – CANNIGIONE – BOAT TRIP AROUND THE ISLANDS OF THE MADDALENA ARCHIPELAGO ( B, D )
Today we will take an unforgettable boat trip to discover the most incredible corners of the La Maddalena archipelago.
Created in 1996 to protect the local flora and fauna, La Maddalena National Park is home to many types of birds, including the common kestrel, peregrine falcon and seabirds such as the European shearwater, the shearwater and the Manx shearwater.
Here we will visit some of the most beautiful islands in the Mediterranean, such as the Isle of Spargi, the Isle of Santa Maria and the Isle of Razzoli (subject to changes according to the tide). We will be enchanted by the coral tones of the famous and unique Spiagga Rosa (landing on the Pink Beach is prohibited).
We will also have the pleasure of swimming in the clear emerald waters and tasting the typical dishes of the region.
In the middle of the afternoon we will return to the point where we embarked.
From here we will return to our hotel. Dinner

DAY 12 – May 21 – WED – PALAU – PORT OF SANTA TERESA GALLURA – BONIFACE (CORSICA) – PALAU ( B, D )
After breakfast we head to the port city of Santa Teresa Gallura, where we board a ferry bound for Bonifacio, on the south edge of Corsica, an island belonging to France (and where Napoleon Bonaparte was born).
The oldest city in Corsica, Bonifacio was built over 1,200 years ago on a gigantic cliff.
The crossing takes between 50 and 60 minutes, when we arrive at one of the most spectacular coastlines in the world! The cliffs around Bonifacio have been carved out by the ocean, so that the city now sits on the edge of a precipice – an incredible sight.
Arriving at the port of Bonifacio we have several wonderful tours to choose from.
Bonifacio captivates and charms its visitors with its picture-postcard atmosphere, medieval citadel, houses perched atop stunning white limestone cliffs and a lively harbour set against the backdrop of turquoise waters at the southern tip of Corsica.
The harbour is located at the foot of the citadel, in a lively neighbourhood from which to explore the city. The waterfront is lined with bars, cafés and restaurants with a relaxed atmosphere – the perfect place to soak up the atmosphere and the gentle lifestyle of Bonifacio. Docked yachts and fishing boats promise pleasant walks on the sea, while the ochre-coloured cliffs contrasting with the blue of the sea take our thoughts to faraway places.
The coastal path – also known as the Pertusatu path – allows you to stroll and discover the wild coast of Bonifacio. Here you can optionally walk along the cliffs, about 100 meters above sea level, and enjoy the spectacular view of the Lavezzi Islands (Îles Lavezzi) and even Sardinia.
Along the way, you can admire the lighthouse and the local vegetation – and you can also enjoy the two beaches: Saint-Antoine Beach (Plage Saint-Antoine) with its fine sand, and Trois Pointes Beach (Plage des Trois Pointes).
The citadel rises majestically as guardian of the area and the alleys of the upper town. From the port, we will take the little train to reach its heights. We reach the top of the 70-meter-high cliff, an elegant and charming place. Here, the upper town is full of delights, offering us a true melting pot of culture, such as exquisite architectural facades, panoramic views of the sea, squares and ancient gates, and bars and restaurants on welcoming terraces.
The drawbridge of Gênes (le pont-levis de la porte de Gênes) at the Gate of Genoa (La Porte de Gênes) is the entrance to the city, and a place that is well worth a visit. It has a drawbridge from the 1830s (which replaced the one from 1598), operated by a system of weights and pulleys, which takes us on a historical journey to the origins of the city.
At the end of the afternoon, we board the ferry again, returning to the port of Santa Teresa Gallura, in Sardinia. From here, we return to our hotel. Dinner.


DAY 13 – May 22 – THU – PALAU – ÓLBIA – FLIGHT BACK TO THE US ( B )
After breakfast, we head to the city of Ólbia, the “capital” of the northeast of the island.
We have time to stroll around and get to know Ólbia.
Lunch
In the afternoon, we head to the airport to board our flight to the US.


DAY 14 – May 23 – FRI – ARRIVAL IN YOUR AIRPORT IN THE US

* * *

INCLUDED
- 2 nights in Cagliari at Hotel Regina Margherita https://www.hotelreginamargherita.com/en/ or similar;
- 1 night in Buggerru at Hotel Rosa dei Venti https://www.larosadeiventibuggerru.com/ or similar;
- 3 nights in Bosa at Hotel Baja Romantica or https://www.hotelbajaromantica.com/home similar;
- 2 nights in Cala Gonone at Hotel Brancamaria or similar https://www.hotelbrancamaria.com/en/;
- 4 nights in Palau at Park Hotel Cala Di Lepre & Spa or similar https://www.hotelcaladilepre.com/sardinia/hotel.html;
- 7 meals;
- Transport by minibus;
- 4x4 tour;
- Boat trip in Cala Gonone - Gulf of Orosei;
- Boat trip in the Archipelago of La Madallena;
- Sardinia ferry – Corsica – Sardinia;
- Tour tickets; 
- Guides ( Edgar Werblowsky and Italian speaking guide );
- Freeway Gift (Kit 1).


NOT INCLUDED

- Air tickets;
- Boarding fees;
- Other meals not included above; 
- Refreshments, beverages, drinks;
- Extras; 
- Any item not mentioned in the program


PRICE PER PERSON – In Euros
LAND PART
DOUBLE
EUR 3,980.00
SINGLE EUR 4,790.00

- Traveling alone?
For those passengers who want to share an apartment, we offer the possibility of booking a double apartment shared with another Freeway passenger. If at the end of the registration there is no other passenger to share, an involuntary single supplement of EUR 405.00 will be charged. (Valid only for women).

PAYMENT METHODS:
Check with your Freeway consultant.

 

INTERESTING FACTS ABOUT SARDINIA AND THE SARDO PEOPLE

ABOUT SARDINIA, THE SARDINIANS, THE BLUE ZONES AND WHY THEY LIVE FOR LONGEVITY

Sardinia, the birthplace of the Blue Zones
The official language of the island is Italian, but Catalan is commonly used (the island was ruled by Spain for four centuries), as is Sardinian, the native language of Sardinia, an ancient Roman language distinct from that of mainland Italy - a country into which Sardinia was incorporated in 1861.

The history of Sardinia itself dates back well before the Bronze Age and is well preserved in a multitude of archaeological sites. From the enigmatic Nuraghe, which are UNESCO-protected circular structures built between 1800 and 1200 BC and are iconic to the island, to Roman amphitheatres from the 2nd century AD and temples built in 500 BC, Sardinia is famous for its beautiful white-sand beaches, as well as its small historic towns and picturesque villages. The landscape also includes imposing mountain villages, crystal-clear lakes, 17 national parks and nature reserves, including a primeval forest and hundreds of caves. The island’s enormous olive trees, up to five centuries old, are a symbol of Sardinia, and their olive oil is prized in Italy and around the world. And yes, this is where the sardine got its name. Dolphins and whales can be spotted off the coast of the surrounding Mediterranean waters.
The residents of central Sardinia are culturally isolated and have maintained a very traditional and healthy lifestyle. The mountain Sardinians still hunt, fish and gather the food they eat. They remain close to friends and family throughout their lives. They laugh and drink wine together.
The word “sardonic” has its roots in Sardinia. The men are strong-willed, have high self-esteem and are stubborn. The women are strong, their family comes first and their health comes from the rugged hills – a combination of genes, environment and lifestyle. Sardinians have a sense of humor and a positive attitude towards their elders – with respect increasing with age.
Set your lifestyle and environment like a Sardinian centenarian to live a longer and healthier life. Following these practices will foster habits that can keep you living well into your 100s or beyond.

What is a Blue Zone?
A Blue Zone is a geographical area within which the population lives a significantly longer, healthier and happier life. Sardinia is one of the five Blue Zones recognised worldwide and is the one with the largest male population over 100 years of age. 
What makes the case of Sardinia even more interesting compared to other Blue Zones is that here the ratio of male centenarians to female centenarians is almost equal - whereas in other parts of the world the ratio is around 5 women over 100 years of age for every man. This is indeed a rarity and makes the case of the Sardinian Blue Zone even more emblematic.

Although the whole of Sardinia is considered a Blue Zone, the area where ultracentenarians live is very limited: the largest concentration of these incredible communities is in Ogliastra (Villagrande Strisaili, Arzana, Talana, Baunei, Urzulei and Triei), Barbagia (especially the villages of Tiana, Ovodda, Ollolai, Gavoi, Fonni, Mamoiada, Orgosolo and Oliena and Seulo in the south of the island.

If you are curious about the other four Blue Zones, they are spread around the world: Okinawa Island (Japan); Loma Linda Community (California); Nicoya Peninsula (Costa Rica); Ikaria Island (Greece).

The first person to introduce the concept of the Blue Zone in the early 2000s was the French scholar Michel Poulain. Shortly after, he joined forces with Gianni Pes, who had been studying the astonishing longevity of the Sardinian people for 20 years, and together they mapped the five Blue Zones until their official recognition in 2016.

The two researchers (and with them Dan Buettner, who soon joined the research) were fascinated by the longevity of the inhabitants of these remote and diverse places and were eager to know what made them so special. 
Although there are several micro factors unique to each zone, it was possible to identify some common points that made this “miracle of long life” possible.

Food
Let’s be serious: food is the main reason for everything that happens to our bodies. If we eat a good, balanced diet, we will feel better and are unlikely to suffer from serious health problems: and this is exactly what the people in the Blue Zones do.

Sardinians love to eat their traditional dishes and tend to cook very healthily. They eat a lot of home-grown and locally grown produce, such as cheese (the famous pecorino cheese! - made from grass-fed sheep, rich in omega-3 fatty acids), fruits and vegetables, especially in the smaller villages where daily life is still governed by the farming and sheep farming; wholemeal bread that they produce themselves; and lots of home-made olive oil, instead of butter, which is high in saturated fats. In addition, there is another Sardinian oil, Mastic, extracted from the berries of the eponymous shrub, which contains unique anti-inflammatory, antifungal and antibacterial properties that cure everything from digestive problems and colds to skin problems.
The local diet is rich in plants, grains and dairy products, and light on meat – which is usually reserved for Sundays and special occasions.

In short, the frugal diet of the Sardinians is the main reason for such a high life expectancy.

But wait… there’s another secret! There is a traditional wine, called Cannonau, whose chemical composition promotes the well-being of the body and, if consumed in moderate quantities (which is exactly what happens here), gives Sardinia another great ally for a longer life!

Celebrate the elderly
Another essential factor for a long and happy life is family. Modern society often thinks of the elderly as a burden, someone to be kept aside; there is a general lack of respect for them and they are considered fragile and useless.

Blue Zone communities, however, have great respect for the elderly, who are not a burden: they are an integrated and valued part of the family; their opinions are taken into account and they participate in all social activities.
Grandparents can provide love, childcare, financial support, wisdom and expectations/motivation to perpetuate traditions and encourage children to succeed in life. All of this can result in healthier, better-adjusted and longer-lived children. It can give the general population an increase in life expectancy.

The feeling of being loved and always integrated into their surroundings, plus the fact that families are still quite large and interconnected, are another great contribution to their lifespan.
The older generations are considered wise teachers: they are the ones who have lived the longest, they know all the secrets to better harvests, healthier livestock and how to make the best food; they are the ones who teach the younger generations how to live and follow in their footsteps and are involved in the education of children.

Long story short, no one in Sardinia would ever think of throwing away the older members of their family. This way of living actually benefits everyone and is not limited strictly to families but, more broadly, to the entire social community.

Putting family first
Sardinian strong family values ??help ensure that every member of the family is taken care of. People who live in strong, healthy families suffer lower rates of depression, suicide and stress.

A lifetime of exercise
Since the inhabitants of the Blue Zone still lead a rural life, they do not need a gym to stay healthy and fit. Exercise comes naturally when you grow your own food, be it a flock of sheep or a field of tomatoes; Furthermore, they do not use much public or private transport and prefer to get around on foot.
Sardinian seniors can often be seen strolling, chatting and looking healthier than ever.
It is also quite common to find some grandpas (and grandmas!) hunched over in their fields, working on each plant to ensure that they deliver the best fruits and vegetables.
Sardinian seniors only look old at first glance, believe me! They have more energy than the average thirty-year-old in many other countries and they will show it to you.
Drink one or two glasses of red wine daily
Sardinians drink wine in moderation. Cannonau wine has two to three times the levels of flavonoids, which clean the arteries more than other wines. Moderate wine consumption may help explain the lower stress levels among men.
You are always part of something
The very concept of family and community is very broad in the small villages of Sardinia, where everyone knows each other and cooperation is considered a must.
There is no room for individualism here, and the elderly are no exception: they are involved in everything that concerns the village, from simple and personal gardening tasks to organizing festivals and other events.
Remember that these villages are still very religious, so even going to church is essential for the well-being of the community, as is celebrating the festivities in observance of the teachings of the Bible: everyone together and with respect for each and every person.
No one should be forgotten or left out, everyone has the same right to be involved, loved and respected, and this greatly impacts the way these people live.
As we have just seen, a natural and balanced diet based on seasonal products is essential for the inhabitants of the Blue Zones, and mental health also plays an important role.

key role: these factors lead to an almost completely stress-free life, with a slow pace based on nature and the seasons.

Laugh with friends
The men of this Blue Zone region are famous for their sarcastic sense of humor. They gather in the street every afternoon to laugh at each other. Laughter reduces stress, which can lower the risk of cardiovascular disease.
Drink goat's milk
A glass of goat's milk contains components that can help protect against inflammatory diseases of aging, such as heart disease and Alzheimer's.

Spirituality
The people of Sardinia are still very religious and in fact spirituality, religion and general belief in God and attendance at mass are also factors that help increase the life expectancy of the Sardinians, as they somehow help to structure daily life.
No smoking
That's it. The fact that smoking tobacco considerably shortens our life expectancy shouldn't come as surprising news, right? People in the Blue Zones don't need to smoke. They live free from major stressful events, there is no rush to do anything, there is no social pressure; almost no one feels the urge to smoke.
The people in the villages are not obsessed with health, they do not pay special attention to the Ministry of Health's anti-smoking campaigns or anything; they just see cigarettes as they are: a vice, a bad habit that does not bring any benefit to their beloved community.
And there is no place for useless habits in a village that has always based its existence on frugality and hard work: a cigarette will not give you better crops or meat, it will not help you make better cheese and bread, and Cannonau tastes awful after smoking tobacco.

Valores

Valores por pessoa - Parte Terrestre

Deslize a tabela para os lados para ver mais valores

Hospedagem

Apartamento

Duplo

Single

Triplo

Criança

Período da Viagem

Apartamento € 3.980 10x € 398 € 4.790 10x € 479 09/05/2025 até 22/05/2025 solicitar reserva

FORMAS DE PAGAMENTO
- Pagamento à vista: 3% de desconto, exceto sobre taxas e impostos.
- No Cartão: Entrada de 20% + 9 parcelas iguais
- No Cheque: Entrada + 9 parcelas iguais sem juros

IMPORTANTE

– Viajando Sozinho?
Para aqueles passageiros que querem compartir apartamento, oferecemos a possibilidade de reservar apartamento duplo compartindo com outro passageiro Freeway. Se ao final das inscrições não houver outro passageiro para compartir, será cobrado um suplemento de single involuntário de EURO 405,00 (Esta condição vale somente para mulheres)

 CONDIÇÕES GERAIS
* Documentação para embarque: para sua tranquilidade providencie a documentação com antecedência.
* Crianças menores de 18 anos que não estejam acompanhadas de pai e mãe, devem obrigatoriamente ter autorização com firma reconhecida daquele que não está presente.
* Preços sujeitos a alterações sem aviso prévio. 
* A ordem dos passeios não será obrigatoriamente a descrita.
* A programação pode sofrer alterações devido a fatores climáticos, de acesso, ou outros que a operadora julgue poderem interferir na segurança ou bem estar dos viajantes.
* Caso o passageiro adquira por conta própria o seu bilhete aéreo, deverá nos informar sobre todos os seus dados, inclusive acerca de suas eventuais alterações;
* Tenha sempre com você seus medicamentos tomados regularmente;

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA – PARA BRASILEIROS:
Passaporte com validade mínima de 6 meses além da data do final da viagem, com mínimo de 04 páginas em branco.
Obs.: A documentação é de inteira responsabilidade do passageiro. 

CONDIÇÕES GERAIS E DE CANCELAMENTO: 
De acordo com as condições do contrato de prestação de serviço.

IMPORTANTE
- Em caso de haver voos sugeridos ou incluídos nos roteiros e o passageiro optar por voos diferentes, deverão consultar o valor do traslado adicional e/ou privativo;
- Os horários de check-in variam entre as 12h e as 16h, e check out entre 11 e 14, dependendo das regras e regulamentos do estabelecimento;
- Early check-in e late check-out devem ser consultados, sujeitos à disponibilidade e cobrança de taxas extras;
- Não aceitamos pagamentos com cheques de terceiros ou de pessoa jurídica cujos proprietários não sejam os viajantes. Aceitamos pagamento com cartão de credito desde que seja do próprio passageiro ou de parente em primeiro grau, com o mesmo sobrenome;
- Não estão inclusos custos para envio de documentação e brindes fora da cidade de São Paulo.


CURIOSIDADES SOBRE A SARDENHA, OS SARDOS, AS BLUE ZONES
E O PORQUÊ DA LONGEVIDADE


Sardenha, berço das Blue Zones  
A língua oficial da ilha é o italiano, mas o catalão é comumente usado (a ilha foi governada pela Espanha durante quatro séculos), assim como o sardo é o idioma nativo da Sardenha, uma antiga língua romana distinta daquela da Itália continental - um país ao qual a Sardenha foi incorporada em 1861. 

A própria história da Sardenha remonta a bem antes da Idade do Bronze e está bem preservada em uma infinidade de sítios arqueológicos. Desde o enigmático Nuraghe, que são estruturas circulares protegidas pela UNESCO erguidas entre 1.800 e 1.200 a.C., e que são icônicas para a ilha, até anfiteatros romanos do século II d.C. e templos construídos em 500 a.C.

Com 1.900 km de costa cercada por águas tão turquesas quanto as do Caribe, a Sardenha é famosa por suas belas praias de areia branca, bem como por suas pequenas cidades históricas e vilas pitorescas. A paisagem ainda inclui aldeias de montanhas imponentes, lagos cristalinos, 17 parques nacionais e reservas naturais, incluindo uma floresta primitiva e centenas de cavernas. As enormes oliveiras da ilha, com até cinco séculos de idade, são um símbolo da Sardenha, sendo o seu o azeite apreciado na Itália e em todo o mundo.

E, sim, este é o local de onde a sardinha ganhou o seu nome. Golfinhos e baleias podem ser avistados ao largo das águas mediterrânicas circundantes. 

Os residentes da região central da Sardenha estão culturalmente isolados e mantiveram um estilo de vida muito tradicional e saudável. Os sardos das montanhas ainda caçam, pescam e colhem os alimentos que comem. Eles permanecem próximos de amigos e familiares ao longo de suas vidas. Eles riem e bebem vinho juntos.

A palavra “sardônico” tem suas raízes na Sardenha. Os homens têm uma vontade forte, grande auto estima e grande teimosia. As mulheres são fortes, a sua família vem em primeiro lugar e a sua saúde vem das colinas escarpadas – uma combinação de genes, ambiente e estilo de vida. Os sardos têm senso de humor e uma atitude positiva em relação aos mais velhos – com o respeito aumentando conforma a idade.

Configure seu estilo de vida e ambiente como um centenário da Sardenha para viver uma vida mais longa e saudável. Seguir essas práticas promoverá hábitos que podem mantê-lo vivendo bem até os 100 anos ou mais.


O que é uma Blue Zone?
Uma Blue Zone é uma área geográfica dentro da qual a população vive uma vida consideravelmente mais longa, saudável e feliz. A Sardenha é uma das cinco Blue Zones Azuis reconhecidas em todo o mundo e é aquela com a maior população masculina com mais de 100 anos de vida.

O que torna o caso da Sardenha ainda mais interessante em comparação com outras Blue Zones é que aqui a proporção de homens centenários em relação a mulheres é quase igual - enquanto que noutros lugares do mundo a proporção é de cerca de 5 mulheres com mais de 100 anos de idade para cada homem. Na verdade, isto é uma raridade e torna o caso da Blue Zone da Sardenha ainda mais emblemático.

Embora toda a Sardenha seja considerada uma Blue Zone, a área onde vivem os ultracentenários é muito limitada: a maior concentração destas incríveis comunidades está em Ogliastra (Villagrande Strisaili, Arzana, Talana, Baunei, Urzulei e Triei), Barbagia (especialmente as aldeias de Tiana, Ovodda, Ollolai, Gavoi, Fonni, Mamoiada, Orgosolo e Oliena e Seulo no sul da Ilha.

Se você está curioso sobre as outras quatro Blue Zones, elas estão espalhadas pelo mundo: Ilha de Okinawa (Japão); comunidade de Loma Linda (Califórnia); Península de Nicoya (Costa Rica); ilha de Ikaria (Grécia).

A primeira pessoa a introduzir o conceito de Blue Zone no início dos anos 2000 foi o estudioso francês Michel Poulain. Pouco depois, ele se juntou a Gianni Pes, que estudava a surpreendente longevidade do povo da Sardenha há 20 anos, e juntos mapearam as cinco Blue Zones até seu reconhecimento oficial em 2016.

Os dois investigadores (e com eles Dan Buettner, que logo se juntou à investigação) ficaram fascinados pela longevidade dos habitantes destes locais tão distantes e diversos e ansiavam por saber o que os tornava tão especiais.

Embora existam vários microfatores exclusivos de cada zona, conseguiu-se identificar alguns pontos comuns que tornaram possível este “milagre da longa vida”.

A comida
Vamos falar sério: a comida é a principal razão de tudo o que acontece com o nosso corpo. Se seguirmos uma dieta boa e equilibrada, sentir-nos-emos melhor e provavelmente não sofreremos de problemas graves de saúde: e é exatamente isto o que as pessoas nas Blue Zones fazem.

Os sardos adoram comer os seus pratos tradicionais e costumam cozinhar de forma muito saudável. Eles comem muitos produtos caseiros e cultivados no local, como queijo (o famoso queijo pecorino! - feito de ovelhas alimentadas com capim, rico em ácidos graxos ômega-3, frutas e vegetais, especialmente nas aldeias menores, onde a vida quotidiana ainda é regida pela agricultura e pelo pastoreio de ovelhas; pão integral que eles mesmos produzem, e muito azeite caseiro, ao invés da manteiga, que possui alto índice de gorduras saturadas. Além disso, há um outro óleo da Sardenha, o Mastic, extraído das bagas do arbusto homônimo, que contém propriedades antiinflamatórias, antifúngicas e antibacterianas únicas que curam tudo, desde problemas digestivos e resfriados até problemas de pele. A dieta local é rica em plantas, grãos e laticínios, e leve em carne – que geralmente é reservada para domingos e ocasiões especiais. 

Resumindo, a dieta frugal dos sardos é a principal razão para uma expectativa de vida tão alta.

Mas espere… tem mais um segredo! Existe um vinho tradicional, chamado Cannonau, cuja composição química favorece o bem-estar do corpo e, se consumido em quantidades moderadas (que é exatamente o que acontece aqui), dá à Sardenha mais um grande aliado para uma vida mais longa!


Comemore os mais velhos
Outro fator essencial para uma vida longa e feliz é a família. A sociedade moderna muitas vezes pensa nos idosos como um fardo, alguém que deve ser mantido de lado; há uma falta geral de respeito por eles e são considerados frágeis e inúteis.

As comunidades das Blue Zones, no entanto, têm um grande respeito pelos mais velhos, que, além disso, não são um fardo: são uma parte integrada e valorizada da família; sua opinião é levada em consideração e eles participam de todas as atividades sociais.

Os avós podem fornecer amor, cuidados infantis, ajuda financeira, sabedoria e expectativas/motivação para perpetuar tradições e incentivar as crianças a terem sucesso nas suas vidas. Tudo isso pode resultar em crianças mais saudáveis, mais bem ajustadas e com vida mais longa. Pode dar à população em geral um aumento na expectativa de vida.

A sensação de serem amados e sempre integrados ao seu entorno, além de as famílias ainda serem bastante numerosas e interligadas, são mais uma grande contribuição para o seu tempo de vida.

As gerações mais velhas são consideradas professores sábios: são as que viveram mais tempo, conhecem todos os segredos para uma colheita melhor, um gado mais saudável e como fazer a melhor comida; são eles que ensinam as gerações mais jovens a viver e a seguir os seus passos e estão envolvidos na educação das crianças.

Para encurtar a história, ninguém na Sardenha jamais pensaria em jogar fora os membros mais velhos da sua família. Esta forma de viver beneficia de fato a todos e não se limita estritamente às famílias, mas, de forma mais ampla, a toda a comunidade social.  


Coloque a família em primeiro lugar
Os fortes valores familiares da Sardenha ajudam a garantir que cada membro da família seja cuidado. Pessoas que vivem em famílias fortes e saudáveis sofrem taxas mais baixas de depressão, suicídio e estresse.


Uma vida inteira de exercícios
Como os habitantes da Blue Zone ainda levam uma vida rural, não precisam de ginásio para se manterem saudáveis e em forma. O exercício é muito natural quando você cultiva a sua própria comida, seja um rebanho de ovelhas ou um campo de tomate; além disso, não utilizam muito transporte público ou privado e preferem se locomover caminhando.

Os idosos da Sardenha podem muitas vezes ser vistos passeando, conversando e parecendo mais saudáveis do que nunca. Também é bastante comum encontrar alguns vovôs (e vovós!) curvados em seus campos, trabalhando em cada planta para garantir que entregarão as melhores frutas e vegetais.

Os idosos da Sardenha só parecem velhos à primeira vista, acredite! Eles têm mais energia do que a média das pessoas de trinta anos em muitos outros países e vão mostrar isso a você.

 

Beba um ou dois copos de vinho tinto diariamente
Os sardos bebem vinho moderadamente. O vinho Cannonau tem duas ou três vezes mais níveis de flavonoides, os quais limpam as artérias mais do que outros vinhos. O consumo moderado de vinho pode ajudar a explicar os níveis mais baixos de estresse entre os homens.


Você sempre faz parte de algo
O próprio conceito de família e comunidade é muito amplo nas pequenas aldeias da Sardenha, onde todos se conhecem e a cooperação é considerada uma obrigação.

Aqui não há espaço para o individualismo e os idosos não são exceção: estão envolvidos em tudo o que diz respeito à aldeia, desde tarefas simples e pessoais de jardinagem até a organização de festivais e outros eventos.

Lembre-se que estas aldeias ainda são muito religiosas, por isso até o ir à igreja é essencial para o bem-estar da comunidade, tanto quanto celebrar as festividades em observância aos ensinamentos da Bíblia: todos juntos e com respeito por cada e qualquer pessoa.

Ninguém deve ser esquecido ou deixado de fora, todos têm o mesmo direito de serem envolvidos, amados e respeitados, e isso impacta muito a forma como essas pessoas vivem.

Como acabámos de ver, uma alimentação natural e equilibrada baseada em produtos sazonais é essencial para os habitantes das Blue Zones e a saúde mental também desempenha um papel fundamental: estes fatores levam a uma vida quase completamente livre de stress, com um ritmo lento baseado na natureza e nas estações.


Ria com os amigos
Os homens desta região da Zona Azul são famosos pelo seu senso de humor sarcástico. Eles se reúnem na rua todas as tardes para rir uns dos outros. O riso reduz o estresse, o que pode diminuir o risco de doenças cardiovasculares.


Beba leite de cabra
Um copo de leite de cabra contém componentes que podem ajudar a proteger contra doenças inflamatórias do envelhecimento, como doenças cardíacas e Alzheimer.


Espiritualidade
O povo da Sardenha ainda é muito religioso e de fato a espiritualidade, a religião e a crença geral em Deus e a frequência à missa também são fatores que ajudam a aumentar a esperança de vida dos sardos, pois de alguma forma ajudam a estruturar a vida quotidiana.


Proibido fumar
É isso. O fato de fumar tabaco encurtar consideravelmente a nossa expectativa de vida não deveria ser uma notícia surpreendente, certo? As pessoas das Blue Zones não precisam fumar. Elas vivem livres de grandes eventos estressantes, não há pressa para fazer nada, não há pressão social; quase ninguém sente vontade de fumar.

As pessoas das aldeias não são obcecadas pela saúde, não prestam especial atenção às campanhas anti-fumo do Ministério da Saúde nem nada; eles apenas veem os cigarros como eles são: um vício, um mau hábito que não traz nenhum benefício à sua amada comunidade.

E não há lugar para hábitos inúteis numa aldeia que sempre baseou a sua existência na frugalidade e no trabalho árduo: um cigarro não lhe dará melhores colheitas ou carne, não o ajudará a fazer melhor queijo e pão, e o Cannonau tem um gosto horrível depois de fumar tabaco.

Depoimentos

Itália.
10/06/2016 - Oi,Patricia, tudo bem? A viagem foi ótima! Não tenho queixa alguma! Os locais foram muito bem escolhidos, belíssimos!  Talvez pudesse haver...

Continue lendo

10/06/2016 - Oi,Patricia, tudo bem?

A viagem foi ótima! Não tenho queixa alguma! Os locais foram muito bem escolhidos, belíssimos! 

Talvez pudesse haver mais pausas entre os passeios, pois às vezes ficou um pouco corrido...

O Edgar está de parabéns!!

A nossa guia Kika foi extremamente gentil e solícita! Realmente, só posso agradecer...

Espero viajar outras vezes com vocês!

 

Atenciosamente,

Eliana Mendes. 

Eliana Mendes

Entre em contato!

SOLICITE SUA RESERVA OU TIRE SUAS DÚVIDAS

Aceito receber as comunicações da Freeway por e-mail.

Baixe o PDF