MEU MOAI

ENTRE EM NOSSO GRUPO EXCLUSIVO NO FACEBOOK: https://www.facebook.com/groups/meumoai/

O meu Moai como missão e objetivo reunir pessoas. Queremos conectar pessoas através do compartilhamento de conhecimentos. Juntando expertise, experiência e talento, de um lado, e sede de saber, de descobrir, do outro. Tendo como eixo interesses e valores comuns.  Acreditamos que existam no seu entorno pessoas muito interessantes que você não conheça. Nós estamos aqui para fazer a ponte. E mais, para criar moais de pessoas que venham a se conhecer, trocar experiências, se admirar e se apoiar. Nosso mundo está profundamente fragmentado, de uma forma jamais vista. Por mais que o nível de informações da sociedade exploda numa proporção inimaginável, os valores mais profundos, importantes, verdadeiros e sagrados da vida individual, e da vida em comunidade, não estão sendo cuidados como poderiam. 
O Meu Moai tem o objetivo de reunir nossas pessoas através do que elas têm de melhor.  Aqui esperamos que você encontre atividades e pessoas que enriquecerão a tua vida, abrindo um mundo novo de possibilidades para tornar tua jornada mais significativa e feliz.

CONCEITO INSPIRADOR PARA O MEU MOAI
O Meu Moai se inspira no conceito japonês de Moai, próprio da ilha de Okinawa, não por coincidência uma das Blue Zones do planeta. 
As Blue Zones são as chamadas ilhas de longevidade no planeta, onde o número de centenários é muito maior, percentualmente, do que em outros locais do mundo.

MOAI
No Japão moai se refere a um grupo de amigos para toda a vida. Também significa um grupo de apoio mútuo que fornece apoios sociais, financeiros, de saúde ou espirituais.
Em pequenos bairros de Okinawa os amigos “se reúnem para um propósito comum”, algumas vezes por semana ou até diariamente, para bater papo, viver o momento, compartilhar conselhos e até dar assistência financeira quando necessário. Eles chamam esses grupos de moai.
Historicamente grupos de cerca de cinco crianças pequenas eram reunidas e selavam um compromisso entre si para toda a vida. Como segunda família, eles se encontravam regularmente com seus “moai” para trabalhar, se divertir e até para somar recursos financeiros. Alguns moais duraram mais de 90 anos!

Viagem para São Paulo voltar para o topo