Blog

Passeios no Atacama: um oásis de opções

Como já falamos anteriormente, o Deserto do Atacama oferece inúmeras opções de passeios para todo perfil de viajante. Mas há alguns que são consenso como imperdíveis, aqueles que se você não fizer, você não foi ao deserto.

Valle de la Luna e Valle de la Muerte

Localizado a 17 quilômetros de São Pedro, é o passeio mais conhecido do Atacama e dura menos do que meio dia. Começa pelo Vale da Morte, passa por diversas dunas onde algumas pessoas se arriscam no sandboard, alguns trechos de caminhadas e trilhas um pouco mais íngremes, e então chega-se ao Vale da Lua, com vistas incríveis, especialmente a da formação rochosa conhecida como Anfiteatro. 

Caminhe com calma, pois o calor é forte, e não se esqueça de levar protetor solar, hidratante labial, chapéu ou boné, óculos de sol e garrafinha de água para hidratação. E uma dica: fique até o fim de tarde para assistir a um pôr do sol fascinante, de preferência acompanhado de queijos e vinhos, que as operadoras de turismo costumam levar. 

Salar de Atacama

Localizado a aproximadamente 60 quilômetros de São Pedro, o Salar de Atacama fica a 2.300 metros de altitude e é o segundo maior deserto de sal do mundo, ficando atrás apenas do Salar de Uyuni, na Bolívia. Entre vulcões e flamingos (é nessa região que fica a Reserva Nacional dos Flamingos), você encontrará uma paisagem surpreendente e completamente incomum: ao mesmo tempo árido e cheio de vida. Também é um passeio ideal para o fim de tarde, para observar a mudança de cores da paisagem, conforme o sol vai se pondo, e a vista do imponente vulcão Licancabur. A caminhada ao longo de todo o caminho é plana e sem trilhas desafiadoras.

Lagunas Altiplânicas

Um dos lugares mais bonitos do deserto, na nossa opinião, as Lagunas Altiplânicas ficam localizadas a mais de 4.000 metros de altitude, o que as tornam ainda mais fascinantes. O início do passeio é de carro e leva-se em torno de duas horas para chegar à primeira parada do trajeto, a Lagoa Miscanti, de águas tranquilas e cercada por morros e uma vegetação amarela. No inverno parte do lago pode estar congelada e os morros com neve.

A partir dali, é possível chegar à também linda Lagoa Miñiques, depois de uma pequena caminhada. Mas vá com calma, porque, por estar muito acima do nível do mar, o ar é mais rarefeito e muitas pessoas podem sentir dificuldade de respirar e se cansar rápido. Uma boa dica para esse dia é, antes de sair da pousada, tomar um chá preparado com folhas de coca que costuma ser oferecido para ajudar a suportar a altitude e evitar dores de cabeças.

Geysers del Tatio

Este é um dos passeios mais diferentes do Deserto do Atacama e recomendamos deixá-lo para os últimos dias, pois assim seu corpo já estará mais adaptado ao clima e altitude locais. Para assistir ao fenômeno dos gêisers, é preciso madrugar, porque o espetáculo não dura muito. O vapor e os jatos de água só são cinematográficos enquanto há um contraste marcante entre a temperatura da água e a temperatura ambiente. O frio pode chegar a muitos graus negativos assim que se chega lá e, conforme o sol vai nascendo, a temperatura vai subindo um pouco. Vá muito agasalhado e prepare-se para o “efeito cebola” que provavelmente acontecerá ao longo do dia e sobre o qual já falamos aqui.

Depois de assistir a esse lindo espetáculo da natureza, geralmente acontece o café da manhã preparado pelos organizadores do passeio. E os mais corajosos, que conseguem ficar só em trajes de banho mesmo com o frio congelante, garantem que vale a pena mergulhar nas águas quentinhas das pequenas piscinas naturais formadas no local.

Na volta, ainda é possível se surpreender com um povoado de pouquíssimos habitantes, localizado no meio do nada, chamado Machuca. Recomendamos uma parada por ali para provar  churrasquinhos de carne de lhama e empanadas preparados na hora e que são deliciosos!

Outros passeios

Para completar essa maravilhosa viagem de natureza e cultura, indicamos diversos roteiros que incluem cavalgadas, passeios de bicicleta, trekking, flutuação na Laguna Céjar, banho em águas quentes nas diversas piscinas das Termas de Puritama e uma visita ao museo de arqueologia Gustavo Le Paige. 

Além disso, o Deserto do Atacama é conhecido como um dos melhores lugares do mundo para a observação do céu e possui o observatório público mais bem equipado da América do Sul, o Space. Este abriga dez telescópios em funcionamento, que podem ser manuseados por visitantes. Então vale muito a pena reservar uma noite para um tour astronômico e observar estrelas, planetas e até galáxias, dependendo da época do ano e da lua.

Perto de Santiago: Viña del Mar e Valparaíso

Se o seu roteiro inclui alguns dias em Santiago, não deixe de fazer uma viagem cultural, visitando também as cidades litorâneas próximas da capital chilena: a elegante Viña del Mar e a histórica Valparaíso, declarada patrimônio cultural da humanidade pela Unesco em 2003. Uma boa opção é alugar carro, pois um dia é suficiente para conhecer bem os dois lugares. No caminho, há algumas boas vinícolas para se conhecer também. 

Santiago também é imperdível e, apesar desta ser uma viagem de natureza e para relaxar, adiantamos que vale a pena reservar um dia para ficar lá e aproveitar para fazer compras. Tudo é muito mais barato do que aqui no Brasil, até mesmo as marcas mais famosas. Aproveitem!

FALE COM NOSSO CONSULTOR