Blog

Inhotim: 5 obras para ver e se inspirar

O museu aberto de Inhotim se destaca como um dos mais importantes sobre arte contemporânea do Brasil e leva o título de maior centro de arte ao ar livre da América Latina! Localizado na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, há 60 quilômetros de Belo Horizonte, o museu ainda conta com um belíssimo Jardim Botânico com aproximadamente 5.000 espécies, representando mais de 28% das famílias botânicas conhecidas no planeta.

Nosso descoberta por lá é para inspirar reflexão, transformações e paz. Que tal se preparar para o que lhe espera e conhecer um pouco das obras que irão inspirar nossos desejos de Amor, Felicidade, Saúde, Prosperidade e Paz?

1. Amor

A Galeria Adriana Varejão, que tem o nome em homenagem à artista plástica carioca, já nos encanta por sua arquitetura projetada no lago criando espelhos d’água favorecendo o contraste do concreto com a natureza de Inhotim e ainda nos reserva duas obras para pensarmos sobre o amor:

> Linda do Rosário

A obra de Adriana Varejão consiste em uma parede de azulejos brancos demolida com “vísceras” humanas em seu interior. A obra é baseada em fatos reais.

Créditos: inhotim.org.br

O prédio “Linda do Rosário”, no Rio de Janeiro, estava desmoronando e um casal de amantes, embora avisados pelo porteiro, preferiram lá permanecer. Os personagens da história são um professor que traía a esposa com uma bancária. Estariam cansados de esconder este amor? Ou seria vergonha?

O incidente ocorreu em 2002 e os demais moradores foram retirados em segurança. O fato também inspirou a banda Los Hermanos na música “Conversas de botas batidas”.

> Amor lugar comum

A exposição “Amor lugar comum”, de Luiz Zerbini, provoca nossos sentidos em uma  explosão de cores sobre telas. A proposta do artista é vermos de perto e vermos de longe os detalhes dos amores a partir de combinações truncadas de flora e fauna, geometria (e ilusionismo), objetos pessoais e vivências. A impressão é de uma imagem em 3D.

Créditos: inhotim.org.br

 

2. Felicidade

Para pensar a felicidade, Inhotim nos provoca com duas obras:

> Viewing Machine

Concebida pelo artista Olafur Eliasson, Viewing Machine simula um caleidoscópio gigante e interativo. O visitante pode apontar o objeto para o ponto que quiser tendo diferentes visões do espaço. Quando apontada para outra pessoa, temos uma bela imagem em que a pessoa se mostra diversas vezes refletida em seus seis espelhos que formam um tubo hexagonal. Aprender a olhar, para qual lado apontar, enxergar as pessoas e entender os reflexos da luz...inspirador, não?

Créditos: inhotim.org.br

> Troca-Troca

A obra de Jarbas Lopes tem tudo a ver conosco da Freeway. Lopes criou seus fuscas coloridos com latarias permutadas entre si. A ideia é transmitir ao espectador a troca de experiências durante viagens neste caminho que se percorre literalmente e metaforicamente.

Créditos: inhotim.org.br

 

3. Saúde

Que tal pensarmos na nossa saúde analisando a atenção que estamos dando para o nosso corpo? O desafio aqui é colocá-lo em movimento: alongá-lo como nas esculturas de Edgard de Souza ou levá-lo para um mergulho refrescante na obra de Macchi

> Sem título

As três esculturas de Edgard de Souza são parte de uma série em bronze fundido, que inclui outras peças e foi desenvolvida pelo artista ao longo da década de 2000. Representadas por um corpo masculino, são corpos sem rosto. O que vemos é a elegância das formas.

Souza tem um trabalho reconhecido por sua qualidade artesanal e precisão.  

 

> Piscina

Criada por Jorge Macchi, cuja ideia é recriar objetos banais em situações surrealistas, Piscina é a transformação de um desenho de uma caderneta de endereço com índice alfabético em uma piscina apta para mergulhos.

Créditos: inhotim.org.br

 

4. Prosperidade

Para um ano próspero, que tal repensarmos nossas relações conosco mesmos e nos conectarmos mais com a natureza?

> Narcissus Garden

A escultura-chave de Yayoi Kusama se constitui por uma placa alojada entre as esferas, chamada pela artista como “Seu narcisismo à venda”. Irreverente, Kusama critica o sistema de repetição e mercantilização da arte.

Créditos: inhotim.org.br

Reconhecida por uma obra marcada pelo uso compulsivo de motivos repetitivos circulares, Narcisuss Garden é um enorme espelho, composto por centenas de pequenos espelhos convexos. As imagens se fragmentam e se multiplicam e o visitante contempla a si mesmo diversas vezes.

> Sonic Pavilion

Uma instalação do gênero site-specific e ambiciosa: um furo de 200  metros de profundidade no solo com uma série de microfones que captam o som da Terra. Um som complexo composto por micro ruídos, rico em frequências e texturas e nunca repetitivo.

 

5. Paz

Inhotim não é só provocação...é também uma fonte de paz.

> Jardim Botânico

O paisagismo e as espécies de Inhotim que se interpõem pelo espaço entre as obras são arte por si só. Ao todo são cerca de 5.000 acessos, representando 181 famílias botânicas, 953 gêneros e pouco mais de 4.200 espécies de plantas vasculares.

A disposição do acervo busca a sensibilização popular sobre a importância da biodiversidade e foi desenvolvido por vários profissionais ao longo da história do Inhotim, principalmente por Pedro Nehring.

 

> By Means of a Sudden Intuitive Realization

Inspirado nos iglus comuns utilizados nas ilhas nórdicas para proteger nascentes de água quente, a maior fonte de energia natural nesses locais, a obra de Olafur Eliasson,  apresenta um jogo simples de luz e água. O efeito é ver surgir ante nossos olhos gotas de cristal suspensas no ar como se o tempo pudesse parar por uma fração de segundo. Um misto entre percepção e imaginação.

Ficou inspirado para conhecer esse parque com a cabeça e o coração tranquilos e renovados? Vamos com a gente para Inhotim? Temos pacotes nos feriados e ainda há alguns com passeio pela capital mineira BH e pela cidade histórica de Caraça! Bora?

FALE COM NOSSO CONSULTOR