Blog

Geórgia, Armênia e Azerbaijão: 5 motivos para conhecer

A região conhecida como Cáucaso do Sul é composta por três países: Geórgia, Armênia e Azerbaijão e fica pelas bandas entre a Rússia, a Turquia, o Irã e os mares Negro e Cáspio tornando o lugar especialmente rico culturalmente, além da variedade de ecossistemas exuberantes.

 


 

1. Cultura milenar

A capital da Armênia, Erevan, é considerada das mais antigas cidades do mundo. A Armênia foi a primeira nação a adotar o cristianismo como religião de Estado em 301 e seu território é o suposto local do Jardim do Éden bíblico.

Na Praça da República conhecemos um passado histórico mais recente. Em um dos pontos de encontro mais relevantes do país, na época em que a Armênia integrou a República Socialista Soviética, no sul da praça estava a estátua do líder Lênin. Quando a URSS se dissolveu, a estátua foi removida e no seu lugar instalaram um monitor de TV de grande porte. Inclui na região a cidade de Gori, onde o outro líder soviético, Stalin, nasceu.

 

 

Já a antiga capital da Geórgia, Mtscheta, é considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO por ser um museu vivo com muitos monumentos arquitetônicos e históricos, além de centros religiosos. A cidade de Vardzia é uma atração que muda nossas perspectivas. A cidade foi esculpida em pedra entre os séculos XII e XIII, por mando da Rainha Tamara, que queria construir uma cidade-fortaleza.

 

2. Paisagens exuberantes

 

Os ecossistemas da região são uma atração à parte tamanha a riqueza.

Por lá encontramos pontos de montanhas com altitudes elevadas, seguindo o caminho é possível vislumbrar cânions semidesérticos e as regiões frutíferas como o vale de Ararat. Merecem destaque o cânion de Gnishik, os Vulcões de Barro e o lago de Sevan, localizado à altitude de 1900 metros. É o segundo lago mais alto do mundo.

 

 

3. Religiões

 

A oportunidade de conhecer o surgimento das religiões no território a partir das mudanças sociais, políticas e culturais da época.

Alguns exemplos são o Monastério de Geghard, construção arquitetônica parcialmente esculpida em pedra; o Monastério de Khor Virap, considerado o berço do cristianismo armênio e onde o primeiro católico do país (Gregório, o Iluminador) foi encarcerado durante 13 anos até o rei e o povo reconhecer a fé católica.

 


 

Também há o Templo Pagão Garni, datado do primeiro século depois de Cristo, dedicado a Mitra, o Deus-Sol e o Mosteiro Medieval Haghpat, em que é possível notar a diferença arquitetônica do período de construção se comparado aos mosteiros acima. Uma possibilidade de viajar pelo tempo. Ainda é possível desfrutar do ponto bíblico Monte Ararat, das descrições da Arca de Noé, e sua bela vista e a Catedral de Svetitskhoveli, local que guarda a túnica de Cristo.


 


 

Pelo misto de ocupações da área e os diversos limites fronteiriços, ainda encontramos igrejas com influência indiana, zoroastrismo e templos dedicados a deuses da natureza.

 

4. Cultura medieval

 

Você já ouviu falar na língua georgiana? Com alfabeto próprio, a língua é uma ferramenta da afirmação da identidade nacional de uma região que sofreu longos períodos de ocupação estrangeira. Durante o período medieval a literatura georgiana atingiu seu ápice contendo poemas épicos que narram os valores e a história do país.

 

A música medieval tem ligações principalmente com a religião. Temos: o “canto gregoriano”; o “cantochão” com sua melodia única em que o ritmo é dado por um coral de sacerdotes que cantam palavras latinas dos salmos e orações; o “trovadorismo” originária em meio aos camponeses e suas narrativas, como a de Tristão e Isolda, acompanhadas pelo alaúde ou a viela até chegamos às composições polifônicas. Para se deliciar um pouco com as músicas medievais, acesse aqui.

 

5. Comidas típicas da Armênia: Lavash e Arat

 

Também conhecido como “pão-folha”, Lavash é um pão produzido sem fermento, preparado por moradores da área rural com apas bem fininhas.

Como armazenar e consumir o Lavash: Ele pode ser armazenado durante vários meses porque as apas ficam secas. Para consumir, basta umedecê-las com um pouco de água, envolver em um pano de cozinha e tão breve, cerca de 30 minutos, está pronto para ser aquecido. O pão pode ser acompanhamentos para refeições ou consumido recheado.


Já o conhaque Ararat é produzido desde 1887 e é composto por uvas brancas nativas e envelhecidas em barris de carvalho do Cáucaso. É uma bebida que agrada “gregos e troianos”, ou melhor, conservadores e socialistas. Dos adoradores famosos da bebida estão o ex-primeiro ministro britânico, Winston Churchill, além de ter sido a bebida alcóolica mais consumida na antiga União Soviética.

A adega mais antiga do mundo, com mais de 6 mil anos, fica na caverna de Arení e a região da Geórgia conhecida por Vale do Alazani produz mais 500 tipos diferentes de vinho.

 

Viaje com a Freeway

Após ler os 5 motivo deu vontade de conhecer essa maravilhosa região do Cáucaso do Sul?! É com certeza uma viagem apaixonante e nós convidamos você para conhecer um pouco mais sobre o nosso roteiro. Serão 15 dias de descobertas com a Freeway!

FALE COM NOSSO CONSULTOR