Blog

Turismo na Mata Atlântica! Preservação e Principais Parques para ecoturismo

 

A Mata Atlântica é um dos principais biomas brasileiros e apesar de abrigar uma das maiores biodiversidades do planeta, é também um dos biomas mais ameaçados no mundo.

 

Hoje, restam apenas cerca de 12,4% do que antes era ocupado pela floresta, segundo dados da Fundação SOS Mata Atlântica.

 

O bioma cobria boa parte do território brasileiro, chegando a 17 estados e fazendo parte da transição com o cerrado, mangue, caatinga e planalto de araucárias. 

 

A ocupação humana no Brasil devastou boa parte da natureza original, 72% dos brasileiros habitam áreas que pertenceriam à Mata Atlântica.

 

 

Sua ocupação é antiga, foi o primeiro contato dos portugueses com a natureza brasileira. O famoso Pau Brasil é umas das árvores típicas da Mata Atlântica, que simboliza essa primeira devastação.

 

Mas o principal motivo da derrubada das florestas foi a ocupação humana e o agronegócio. Tanto que as regiões de mata remanescentes em geral, localizam-se nas serras e regiões montanhosas. Principalmente na faixa litorânea sudeste. 

 




 

A biodiversidade da Mata Atlântica - Um tesouro que devemos preservar

 

Por ocupar uma grande região tropical, com variação de altitude e latitude, a Mata Atlântica abriga de 1% a 8% de toda a biodiversidade mundial. Isso porque, existem ainda espécies para se descobrir. 

 

Só de vegetais, são mais de 20 mil variedades de espécies, boa parte endêmica e muitas ameaçadas de extinção. Corresponde a 35% da diversidade de Flora encontrada no Brasil.

 

Uma diversidade única, que é muito superior ao número de espécies vegetais encontradas em toda Europa(12,5 mil) e mesmo na América do Norte(17 mil).

 

 

Há estudos que indicam que na Mata Atlântica, encontramos a maior diversidade de árvores por m² no mundo. Dentre as principais, destacam-se ipês, palmeiras como a jussara, bromélias, cedros, figueiras, begônias, orquídeas, quaresmeiras, cipós, briófitas, jacarandás, jequitibá-rosa, dentre muitas outras.  

 

A grande diversidade de aves também impressiona. São cerca de 850 pássaros de diversas cores, formatos e cantos, que encantam a natureza do Brasil. 

 

Desse montante, 118 estão ameaçados de extinção, sendo 49 endêmicos. Um exemplo é o bicudinho-do-brejo, espécie recém descoberta no litoral paranaense. 

 

São 270 espécies de mamíferos, sendo que 69 são ameaçados de extinção. O mico leão dourado é considerado um símbolo da Mata Atlântica e endêmico da região do Rio de Janeiro. 

 

 

Pior ainda é a situação do mico leão de cara preta, que ocorre entre o Paraná e o litoral sul de São Paulo. Estima-se que existam menos de 300 exemplares na natureza.

 

Podemos encontrar ainda 370 espécies de anfíbios, sendo que 16 ameaçadas de extinção só são encontradas na Mata Atlântica e 200 espécies de répteis, 13 ameaçadas também. Podemos exemplificar com a jibóia-de-Cropan e a tartaruga-de-couro.

 

Por que devemos preservar a Mata Atlântica?

Além de ser a morada de tanta vida do planeta, a Mata Atlântica é responsável pelo controle climático de boa parte do Brasil, pelo fornecimento de água e o fluxo dos mananciais hídricos dos principais rios do sul/sudeste. 

 

Protege também as encostas das serras e garante a fertilidade do solo. É fonte de alimento e plantas medicinais para boa parte das populações tradicionais e seu sustento.

 

Isso sem falar do ecoturismo, das paisagens e belezas incríveis, do lazer e qualidade de vida proporcionada pela floresta.

 

 

Como preservar a Mata Atlântica?

  • Não derrube, nem financie o desmatamento da Mata Atlântica.
  • Compre apenas produtos de madeira certificada ou reflorestamento.
  • Compre apenas palmito com cultivo registrado em órgãos certificados.
  • Não retire e compre plantas nativas ilegalmente da Mata Atlântica.
  • Não compre animais silvestres, denuncie quando possível.
  • Consuma produtos de empresas responsáveis, que não afetam direta ou indiretamente a Mata Atlântica.
  • Não compre imóveis e construa em regiões de mata preservada.
  • Valorize as comunidades tradicionais indígenas que preservam o território de mata nativa.
  • Valorize o ecoturismo, pratique apenas o turismo responsável que não polui e nem afeta o ecossistema da Mata Atlântica.


 

Turismo na Mata Atlântica - Somente o Ecoturismo consciente!

 



 

A Mata Atlântica é protegida por lei. A Lei nº 11.428/2006 dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa desse incrível bioma. No dia 27 de maio, comemora-se o Dia Nacional da Mata Atlântica.

 

Uma das melhores formas de conhecer e se encantar com a Mata Atlântica é pelo ecoturismo. Visitar os principais parques que abrigam áreas remanescentes e desfrutar da natureza abundante e diversa desse bioma.

 

Como já mencionamos, pratique apenas o turismo consciente, que preserva e valoriza a riqueza da Mata Altântica.

 

Aliás, o ecoturismo é uma das principais alternativas econômicas para o desenvolvimento de várias populações sem a degradação ambiental. Por isso, estimulamos e difundimos esse turismo responsável para que você conheça as preciosidades da fauna e flora brasileira.

 

Aproveita da pureza para um maravilhoso Banho de Floresta. Não sabe do que estamos falando? Confira mais sobre os Banhos de Floresta.

 

Confira uma lista de áreas remanescentes e alguns parques na Mata Atlântica que você pode visitar. Essa compreende alguns estaduais e nacionais, mas há muitas reservas particulares e outros parques não mencionadas, que são importantes para essa preservação:

 

Parque Nacional do Iguaçu

 

 

O parque Nacional do Iguaçu foi criado em 1939 e protege uma importante biodiversidade do sul do Brasil. Está a apenas 17km do centro de Foz do Iguaçu e somente 5km do Aeroporto Internacional.

 

Sua preservação soma-se a beleza das cataratas do Iguaçu, muito visitada por turistas do mundo todo. E por isso foi a primeira Unidade de Conservação do Brasil a ser insituída como Sítio do Patrimônio Mundial Natural pela UNESCO.

 

É uma das poucas áreas de mata atlântica onde pode-se encontrar de forma preservada a onça-pintada, que foi extinta em quase todas as outras áreas remanescentes. 

 

 

Parque Nacional dos Campos Gerais

 

 

O Parque Nacional dos Campos Gerais é um pouco mais recente, criado em 2006. Uma unidade de conservação localizada no centro-leste paranaense. 

 

Abriga 21.300 hectares, resguarda campos nativos, florestas de araucárias e pinturas rupestres.

 

Uma região repleta de atrativos naturais, propícia para uma viagem de natureza e cultura e claro, Banho de Floresta.

 

 

Aparados da Serra

 

 

O Parque Nacional de Aparados da Serra, criado em 1959,  é uma unidade de conservação brasileira de proteção integral da natureza localizada na Serra Geral. 

 

Abriga os desfiladeiros na divisa geográfica natural dos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. É o mesmo nome do Complexo de Canyons, que impressiona e se estende de Cambará do Sul até parte da Serra Catarinense.

 

 

Petar

 

 

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, mais conhecido pela sigla PETAR, é um parque brasileiro localizado no sul do estado de São Paulo, entre os municípios de Apiaí e Iporanga. Abriga mais de 300 cavernas.

 

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira é considerado uma importante Unidade de Conservação, somada ao Parque Carlos Botelho e ao Parque Estadual Intervales, formam o maior trecho contínuo de Mata Atlântica.

 

Cantareira




 

O Paruque Estadual da Cantareira é uma Unidde de Conservação de Proteção Integral inaugurada em 1962. Localiza-se ao lado do Horto Florestal. 

 

Na Zona Norte de São Paulo, é uma das maiores florestas em área urbana do mundo, preservando importantes remanescentes do Cinturão Verde da capital paulista