Blog

Serra da Bocaina: Onde fica, Mapa e o que Fazer

 

Uma natureza preservada, de acesso não tão simples, que abarca diversas altitudes, cidades e muita história para contar.

Mesmo que ainda não tenha adentrado na Bocaina, você muito provavelmente já passou em suas proximidades. A região está localizada entre o principal eixo econômico do país. 

Se ainda não há estrutura consolidada dentro do parque, nem uma exploração turística, não significa que faltam atrativos para conhecer. A beleza fica por conta da preservação e do imaginário das histórias que já percorreram essa incrível natureza.

Onde fica a Serra da Bocaina?

 

Entre o eixo mais desenvolvido do sudeste, a Serra da Bocaina contempla um pedaço da Serra do Mar que se liga também à Serra da Mantiqueira, na transição entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. 

Das areias nas praias de Paraty até os picos altos de mais de 2 mil metros de altitude na Serra do Mar. Bocaina impressiona pela sua diversidade.

A Serra da Bocaina pode ser dividida em 3 cotas importantes: a parte litorânea a nível do mar; o trecho de serra até a altitude do Vale do Paraíba e a Rodovia dos Tropeiros; e o trecho de maior altitude.  

 

 

 

O Parque Nacional da Serra da Bocaina

 

O Parque Nacional foi criado em 1971, em plena ditadura militar, com intuito de resguardar uma área preservada nas proximidades das usinas de Angra I e Angra II. 

Com 104.000 hectares, é hoje um dos principais redutos de Mata Atlântica.

Administrado pelo ICMBio(Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), a sede do parque está em São João do Barreiro.

Os municípios que fazem parte do Parque Nacional ou estão em sua limitação são Paraty e Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro; São José do Barreiro, Ubatuba, Cunha, Silveiras, Bananal, Arapeí e Areias, no estado de São Paulo.

 

Um pouco de história - A Rodovia dos Tropeiros

 

 

Primeiramente um trajeto indígena que ligava o Vale do Paraíba ao litoral fluminense. Depois explorado pela caça e os bandeirantes 

Ganhou relevância nos tempos da mineração nas Minas Gerais, quando se descia com o ouro pelas serras de Minas até o Vale do Paraíba. A partir daí, cruzava-se a Serra da Bocaina até Paraty, onde a riqueza saía do Brasil rumo à Europa.

A rodovia dos tropeiros, nada mais era que o caminho percorrido para levar os ouros e diamantes. 

O acampamento em alguns pontos do trajeto, deu origem às vilas, que hoje são as cidades da Serra da Bocaina.

Estes mesmos trajetos foram posteriormente utilizados para escoar a produção de cana-de-açúcar e café do Vale do Paraíba. Algumas trilhas receberam calçamento e foram ampliadas pelo trabalho escravo. 

Esses calçamentos podem ser encontrados e são um dos atrativos históricos do parque.

As trilhas indígenas, bandeirantes e depois tropeiras que merecem destaque são a das gargantas dos rios Buquira, Piracuama e Sapucaí, do Piaqui e da garganta do Embaú.

A rodovia dos tropeiros, criada posteriormente, foi importante ligação entre as grandes capitais de São Paulo e do Rio de Janeiro, substituída pela Rodovia Presidente Dutra.

Monteiro Lobato citava essas cidades da Bocaina como cidades mortas, por pertencerem à antiga rota SP-RJ, que deixou de ser ponto importante de tráfego.

 

Como visitar a Serra da Bocaina?

A Serra da Bocaina pode ser visitada de carro a partir da saída de grandes cidades como Rio e SP. É importante destacar que não há transporte público e turístico recorrente para as cidades e atrativos.

Você pode conhecer a região com um Grupo Freeway. Conhecemos muito bem a região e criamos experiências de viagens com imersões na natureza, história e cultura local.

Há vários pontos de acesso para subir a serra e encontrar os pólos turísticos com alguns atrativos e pousadas quando estiver percorrendo as cidades da Rodovia dos Tropeiros.

São José do Barreiro é a principal entrada da Bocaina, com infraestrutura de pousadas ao subir a serra. Há muitos trechos de brita e poucos asfaltados.

Bananal é o trecho de maior facilidade de acesso, pois está asfaltado em quase todo o percurso. 

Vale destacar que é importante se programar de acordo com os atrativos que você quer conhecer.

Quando visitar a Serra da Bocaina?

Procure visitar a região entre os meses de abril e maio, ou de agosto a outubro. Entre os períodos de outono e primavera, para pegar temperaturas amenas, não tão chuvosas e aproveitar melhor os banhos de cachoeira.

A Serra da Bocaina tem o período de inverno como o mais seguro para visita. Isso porque a região tem um nível constante de chuvas, o que pode dificultar o acesso às trilhas nos períodos chuvosos de verão, que não são indicados.

Por outro lado, a região fica bem fria, com média de 10ºC e mínimas negativas nas madrugadas. Outra coisa é a vazão menor das cachoeiras.

O mesmo vale para o litoral de Paraty e Angra dos Reis. Para fugir da alta temporada de pessoas e chuvas no verão e também do frio do inverno. Aconselhamos o período de Primavera e Outono.

 

O que fazer na Serra da Bocaina?


A Serra da Bocaina encanta principalmente pela beleza do bioma da Mata Atlântica. Orquídeas, jequitibás, figueiras, bromélias, antas, preguiças, aves e borboletas coloridas encantam a fauna e flora.

A serra da Bocaina reserva ainda surpresas como grandes cachoeiras, algumas de mais de 100 metros. Destaque para a incrível cachoeira do Bracuí, que leva uma hora e meia de caminhada. E presenteia com vários poços e uma vista para a baía de Angra dos Reis. 

Outro atrativo cultural é visitar as fazendas de café, que no auge do período cafeeiro era formado por mais de 80 propriedades. Muitas preservam até hoje sua história, abertas para visitação.

 

Viaje com a Freeway

 

Vem conhecer a natureza brasileira e a cultura do nosso Brasil com a Freeway! Temos diversos grupos, roteiros e verdadeiras experiências de saúde, descoberta e prazer.

FALE COM NOSSO CONSULTOR